Copa do Mundo no Brasil é forte candidata a melhor da história

segunda-feira, 14 de julho de 2014 19:39 BRT
 

Por Simon Evans

RIO DE JANEIRO (Reuters) - A Copa do Mundo de 2014 ofereceu futebol inigualável, lances individuais de destaque, disputas acirradas e alguma polêmica, sempre em estádios lotados por torcedores apaixonados pelo esporte.

Vistos no geral, os 64 jogos no Brasil não têm paralelo em Mundiais em termos de qualidade do futebol, empolgante na fase de grupos e cheio de tensão e excelência na defesa no mata-mata.

Todo torneio tem seus momentos memoráveis -- o maravilhoso quarto gol de Carlos Alberto Torres na final de 1970, quando o Brasil massacrou a Itália na final, o gol mágico de Maradona na Inglaterra em 1986, e a revelação de Pelé ao mundo em 1958 são alguns dos mais marcantes.

Mas o que tornou 2014 tão especial foi que a qualidade e a sofisticação tática foram vistas em diversas seleções, com muito poucas parecendo deslocadas.

A Costa Rica chegou às quartas de final pela primeira vez e só não avançou porque tombou diante da Holanda na definição por pênaltis.

Colômbia e México impressionaram e poderiam facilmente ter ido mais longe; os Estados Unidos empolgaram a torcida crescente de seu país, e até o Irã chegou perto de derrotar a Argentina, que acabou como vice-campeã.

Em comparação, potências tradicionais incapazes de jogar em seu mais alto nível foram expostas, nenhuma mais que a Espanha, surrada pelos holandeses por 5 x 1 já na estreia e eliminada na fase de grupos.

O anfritrião Brasil, cotado por muitos como favorito no Mundial, mostrou que essa opinião só se baseava na nostalgia e na suposta vantagem de jogar em casa.   Continuação...

 
Seleção alemã ergue a taça da Copa do Mundo no Maracanã. 13/07/2014  REUTERS/Darren Staples