Dilma rebate "previsão pessimista" e faz balanço positivo da Copa

segunda-feira, 14 de julho de 2014 20:53 BRT
 

BRASÍLIA (Reuters) - A presidente Dilma Rousseff afirmou nesta segunda-feira, durante cerimônia de avaliação da Copa do Mundo, que o país derrotou a previsão pessimista de que o evento seria um fracasso, e elogiou a organização e a realização da "Copa das Copas" no Brasil.

Em uma entrevista coletiva que teve a participação de 16 ministros, Dilma e integrantes do governo citaram os preparativos e a ausência de graves incidentes nas áreas da segurança, aviação, comunicação e do setor elétrico, entre outros setores, para fazer um balanço positivo do Mundial.

"Nós derrotamos, sem dúvida, essa previsão pessimista e realizamos com a imensa e maravilhosa contribuição do povo brasileiro essa Copa das Copas", afirmou Dilma durante avaliação do torneio, na sala de operações do Centro Integrado de Comando e Controle, instalação utilizada pelos órgãos de segurança e inteligência para monitorar o evento.

"O país pode se considerar um vitorioso no que se refere à organização dessa Copa do Mundo", disse Dilma, um dia após a Alemanha derrotar a Argentina na final, no Maracanã, por 1 x 0.

Sobre um dos pontos baixos do país na Copa, a goleada histórica por 7 x 1 sofrida pela seleção brasileira para a Alemanha na semifinal, Dilma disse que "tudo na vida é superação", que o país mostrou dignidade e que é preciso atitude para saber perder.

A presidente, que esteve nos estádios em apenas duas partidas da Copa do Mundo --o jogo de abertura, em São Paulo, e a final, no Rio de Janeiro-- foi hostilizada pela torcida nas duas ocasiões, como ocorreu no ano passado na Copa das Confederações.

Durante a mobilização governamental para divulgar o balanço da Copa nesta segunda-feira, o ministro da Casa Civil, Aloizio Mercadante, afirmou, ao ser questionado sobre o uso político do evento, que “não há uma análise simplista" sobre a relação entre a seleção brasileira e a urna.

Passado o período de festas, jogos e feriados por conta da Copa do Mundo, os brasileiros devem, agora, ser bombardeados com as campanhas para as eleições gerais de outubro. Dilma, candidata à reeleição que lidera as pesquisas de intenção de voto, teve uma melhora na sua avaliação durante o Mundial.

A oposição, que no início criticou a realização do evento, passou a frequentar os estádios e tentou descolar o evento do contexto político. Mas mesmo a própria presidente chegou a afirmar que o futebol estava acima da política e que a seleção estava “acima de governos, de partidos e de interesses de qualquer grupo”.   Continuação...