Douglas Costa, do Shakhtar Donetsk, diz ter medo de voltar para Ucrânia

terça-feira, 22 de julho de 2014 11:10 BRT
 

Por Igor Nitsak

KIEV (Reuters) - Um dos seis jogadores do Shakhtar Donetsk que se recusaram a voltar para a Ucrânia disse que não está abandonando o clube, mas está com medo de pôr sua vida em risco.

Douglas Costa --junto com os brasileiros Alex Teixeira, Fred, Dentinho e Ismaily, assim como o atacante argentino Facundo Ferreira-- se recusou a embarcar da França para a Ucrânia após um amistoso disputado contra o Lyon no sábado.

Os jogadores tomaram a decisão dois dias depois de 298 pessoas a bordo de um voo da Malaysia Airlines morrerem quando o avião em que estavam foi abatido no leste da Ucrânia.

"Quero esclarecer que não estou abandonando o clube. Estou com medo. Tudo o que a gente lê, vê ou ouve é que a situação no país é bastante complicada. Não sabemos em quais condições podemos treinar e muito menos onde jogar", diz um texto publicado na conta de Costa no Instagram.

"Para jogar precisamos viajar. Como vai ser nossa segurança? Não tenho nenhum problema no Shakhtar. Gosto do clube, das pessoas, da cidade, mas estou com medo de outras situações de conflito e de eventualmente, numa viagem, quando nos separarmos de nossos familiares, que aconteça algo pior", acrescentou.

O presidente-executivo do Shakhtar, Sergei Palkin, deu garantias de que a Uefa apoia o clube, apresentando documentos oficiais da entidade.

"Consultamos a Uefa sobre esta situação, quando alguns dos jogadores do Shakhtar se recusaram a voltar para a Ucrânia devido a preocupações de segurança e outras ameaças a seu bem-estar", disse ele.

"A Uefa recomendou que os jogadores que deixaram seus times sem permissão retornem à Ucrânia assim que possível. Vamos enviar cópias desses documentos aos jogadores e seus agentes", acrescentou.   Continuação...