Capello diz que deixará seleção russa se jogadores e dirigentes perderem confiança

quarta-feira, 30 de julho de 2014 11:32 BRT
 

Por Dmitriy Rogovitskiy

MOSCOU (Reuters) - Fabio Capello afirmou nesta quarta-feira, em Moscou, que deixaria o comando da seleção da Rússia se os jogadores e os dirigentes perderem a confiança no trabalho dele.

Falando em entrevista coletiva pela primeira vez desde que a Rússia foi eliminada na primeira fase da Copa do Mundo no Brasil, o ex-técnico da Inglaterra disse que depende do apoio e do entusiasmo para prosseguir seu trabalho.

"Quando nós fomos para a Copa do Mundo todo mundo estava feliz", disse o italiano, de 68 anos. "O futebol depende do momento. A bola -- entrou ou não no gol?".

"Eu trabalho com entusiasmo. Se eu vejo o apoio daqueles ao redor de mim... Se a confiança acabar, não se preocupem, eu vou embora", acrescentou.

Capello renovou seu contrato, estimado em 9 milhões de euros (12 milhões de dólares), com a União Russa de Futebol em janeiro deste ano. O novo acordo tem duração até a Copa do Mundo de 2018, que será realizada na Rússia.

O presidente da federação russa, Nikolay Tolstykh, disse: "O tema da saída de Capello nem sequer foi levantado. Ele está sob contrato e vai continuar seu trabalho. Nenhum membro do comitê-executivo da federação disse que gostaria que Capello saísse."

 
Técnico da Rússia, Fabio Capello, em entrevista coletiva durante a Copa do Mundo. 25/06/2014 REUTERS/Henry Romero