Diretor da Match acusado de venda ilegal de ingressos da Copa deixa prisão

quarta-feira, 6 de agosto de 2014 15:34 BRT
 

RIO DE JANEIRO (Reuters) - O inglês Raymond Whelan, diretor-executivo da Match, empresa ligada à Fifa, deixou a prisão nesta quarta-feira depois de passar três semanas detido no Complexo de Bangu, na zona oeste do Rio de Janeiro, por suspeita de envolvimento num esquema ilegal de venda de ingressos da Copa do Mundo.

Whelan foi solto a partir de uma decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) anunciada na terça-feira. O ministro do STF Marco Aurélio Mello afirmou que a prisão preventiva a que Whelan estava submetido não se justifica, já que ainda não está provada a culpa do executivo.

O Ministério Público prometeu recorrer da decisão de libertar Whelan, afirmando que as provas contra o executivo são contundentes para mantê-lo detido.

Whelan foi preso no dia 7 de julho acusado de atuar como facilitador em um esquema ilegal de venda de ingressos da Copa do Mundo.

O diretor da Match, principal fornecedora de pacotes de viagem para o Mundial, chegou a receber liberdade provisória da Justiça e foi solto após o pagamento de fiança.

Ele, no entanto, teve novamente a prisão decretada no dia 10 de julho e, após a polícia não encontrá-lo no Copacabana Palace, hotel em que estava hospedado, chegou a ser considerado foragido.

Depois de negociações com os advogados de defesa, o executivo se entregou à polícia. Ele está detido no complexo de presídios de Bangu e deve ser solto nas próximas horas.

(Reportagem de Rodrigo Viga Gaier)