Fora do Mundial, Ginobili fala em fim da carreira na seleção argentina a jornal

sábado, 9 de agosto de 2014 16:49 BRT
 

BUENOS AIRES (Reuters) - O armador Manu Ginobili, do San Antonio Spurs, já se resignou a não jogar pela Argentina novamente depois de ficar de fora do Mundial por causa de uma lesão.

"Hoje posso dizer quase com certeza, 98 por cento, que não jogarei mais (para a Argentina)", declarou o jogador de 37 anos em uma entrevista ao jornal argentino La Nación publicada neste sábado.

Ginobili ajudou o Spurs a conquistar o título da NBA em junho, mas o time se recusou a lhe dar permissão para atuar por sua seleção por conta de uma fratura por estresse.

A NBA tem um acordo com a Federação Internacional de Basquete (Fiba) que estipula que só jogadores, e não clubes, podem recusar o convite de suas seleções, exceto no caso de "uma preocupação médica razoável".

Dados os efeitos prolongados de sua contusão, os Spurs invocaram esta cláusula para impedir Ginobili de jogar pela Argentina na Espanha no torneio que começa em 30 de agosto.

Ginobili disse que normalmente não sente dor, mas que "quando salto, empurro ou freio na quadra, começa a doer".

"Se disputasse este torneio teria sido o último, com certeza… é difícil e sempre será me aposentar da seleção", declarou ele, um membro da chamada geração de ouro do basquete argentino.

Ginobili, que a princípio cogitou se aposentar das competições internacionais dois anos atrás, na Olimpíada de Londres, ajudou a Argentina a conquistar a medalha de prata no Mundial de 2002 em Indianápolis, o ouro na Olimpíada de 2004 em Atenas e o bronze quatro anos depois em Pequim.

Ele acumula quatro títulos da NBA com o Spurs desde 2002.

  (Por Rex Gowar)