Rosberg pode sofrer consequências por colisão

domingo, 24 de agosto de 2014 18:10 BRT
 

SPA-FRANCORCHAMPS Bélgica (Reuters) - A Mercedes ameaçou rever a política de permitir que os seus pilotos disputem posições livremente depois que o líder da Fórmula 1, Nico Rosberg, e Lewis Hamilton colidiram no Grande Prêmio da Bélgica deste domingo.

"Infelizmente, sim", disse o chefe de automobilismo da Mercedes, Toto Wolff, quando foi perguntado se o time que está dominando a categoria poderia mudar suas táticas.

"Seria cedo demais para dar detalhes porque o diabo está nos detalhes. Somos todos fãs e devemos para nós mesmos e para todos que eles possam correr em paz", continuou.

"Essa filosofia terminou neste domingo porque a Mercedes perdeu pontos valiosos e não queremos chegar a Abu Dhabi depois de uma temporada em que perdemos o campeonato, seja de construtores ou de pilotos, porque somos muito fãs de corrida." 

Até este momento, o time foi claro ao permitir que os pilotos disputem posições, aceitando que interessa ao esporte ter corridas excitantes e evitando o que aconteceu várias vezes no passado quando uma equipe era muito dominante.

No entanto, o time ficou abalado com vitórias da Red Bull nas últimas duas corridas. Os austríacos foram mais competitivos do que o esperado em um circuito longo e rápido que deveria favorecer o motor híbrido da Mercedes.

A colisão de domingo, com Hamilton abandonando com um carro danificado e Rosberg em segundo, estendendo sua liderança para 29 pontos a sete corridas do fim, deixou a Mercedes apagando incêndios em duas frontes.

Houve atrito entre os pilotos desde que ficou claro que eles tinham o melhor carro do grid e estavam preparados para brigar roda a roda pelo maior prêmio do esporte a motor. 

Hamilton rejeitou neste domingo a indicação de que um acidente era inevitável, enfatizou que foi uma colisão evitável, e que os dois tinham muita experiência, mas a Mercedes certamente se preparando para isso.   Continuação...