Sofrendo com cãibras, Murray sofre para avançar no Aberto dos EUA

segunda-feira, 25 de agosto de 2014 20:01 BRT
 

Por Simon Cambers

NOVA YORK (Reuters) - O britânico Andy Murray não soube explicar muito bem a crise de cãibras que quase lhe custou a vaga na segunda fase do Aberto dos EUA nesta segunda-feira.

Murray mal conseguia andar em alguns momentos no terceiro e no quarto sets de sua partida contra o holandês Robin Haase, mas de algum jeito conseguiu vencer por 6-3, 7-6 (6), 1-6 e 7-5 em uma tarde muito quente em Flushing Meadows.

“Eu não sei exatamente o que foi, o calor ou o que seja, mas tive cãibras depois de uma hora e 45 minutos de jogo, o que não é normal", contou Murray ao canal Sky Sports em entrevista na quadra depois de retomar a liderança saindo de um placar desfavorável de 5-3 no quarto set.

“Eu não sabia o que fazer naquele terceiro set, se eu poupava minha energia ou tentava finalizar tudo em três sets, mas ele quebrou meu serviço. “Eu tentei me manter na disputa e no final eu estava tentando jogar sem mexer muito minhas pernas, e consegui passar".

Murray, considerado um dos atletas em melhor forma na ATP Tour, chegou em Nova York se vangloriando de seu programa de preparação física no meio da temporada na Flórida com sua nova treinadora Amelie Mauresmo.

“Esses Grand Slams são um desafio do ponto de vista da parte física, mas eu preciso descobrir por que isso aconteceu, pois eu não deveria sofrer cãibras após uma hora, quarenta e cinco minutos, não importa a temperatura", disse Murray, que enfrentará agora o alemão Matthias Bachinger.

“Estava quente, mas não estava particularmente úmido, e nós não disputamos muitos longos ralis".

 
Murray enfrenta Haase no Aberto dos EUA nesta segunda-feira.      REUTERS/Adam Hunger