28 de Agosto de 2014 / às 19:28 / 3 anos atrás

Sem tempo para treinar, Dunga deve manter base da seleção em amistosos

Dunga em entrevista coletiva no Rio de Janeiro. 22/07/2014 REUTERS/Ricardo Moraes

RIO DE JANEIRO (Reuters) - O pouco tempo para treinar a equipe antes dos primeiros amistosos em sua volta à seleção brasileira deve levar o técnico Dunga a manter nos jogos contra Colômbia e Equador, em setembro, a base do time que disputou a Copa do Mundo, apesar da campanha fracassada do Brasil no Mundial em casa.

Dunga, que vai reestrear como treinador do Brasil nos jogos contra os adversários sul-americano nos Estados Unidos em 5 e 9 de setembro, afirmou nesta quinta-feira que, com pouco tempo de trabalho, não é possível se fazer muitos testes ou mudanças.

”Com dois dias de treino não dá para fazer milagre ou revolucionar tudo. Temos que manter uma base”, afirmou o treinador a repórteres em entrevista na sede da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), no Rio de Janeiro. “Temos que mostrar dedicação e ser competitivos”, acrescentou.

Dunga assumiu a seleção no mês passado no lugar de Luiz Felipe Scolari depois da Copa do Mundo, em que o Brasil terminou em quarto lugar após ser goleado por 7 x 1 pela Alemanha na semifinal e por 3 x 0 pela Holanda na disputa de terceiro lugar.

O treinador, que comandou a seleção brasileira pela primeira vez entre 2006 e 2010, chamou 10 jogadores que estiveram na Copa de 2014 em sua convocação para os amistosos, incluindo os titulares David Luiz, Luiz Gustavo, Hulk, Oscar e Neymar.

O técnico da seleção afirmou ainda na entrevista na CBF que os amistosos contra Colômbia e Equador serão um bom teste para futuras decisões no trabalho que tem como foco a Copa do Mundo de 2018, na Rússia.

O esquema tático, que pode ser sem um centroavante de referência, vai ser moldado com o passar do tempo, segundo Dunga.

“Acho que serão bons testes e difíceis com times sul-americanos contra quem quase sempre temos dificuldade nas eliminatórias. Serão bons testes para tomar algumas decisões“, disse. “A forma de jogar vai depender também de como os jogadores vão se apresentar”.

Dunga reiterou ainda que deseja ver o atacante Neymar jogando de forma ousada e irreverente na seleção, como em seus tempos de Santos.

O treinador vai ter o primeiro contato com o jogador do Barcelona nos amistosos, depois que, em 2010, Dunga decidiu não levar o atacante para o Mundial da África do Sul.

“Não sou só eu, mas todos nós queremos que ele seja o Neymar do Santos, espontâneo, criativo, determinante e uma referência”, afirmou. “Queremos isso tudo sem perder a alegria, que é algo dele próprio”.

Neymar sofreu uma grave contusão nas quartas de final da Copa do Mundo e ficou de fora das semifinais e da disputa por terceiro lugar contra Alemanha e Holanda. Recentemente, o atacante do Barcelona sofreu uma lesão no tornozelo e desfalcou o time catalão, mas pode voltar a jogar já no fim de semana.

“Temos informações sobre ele. Em princípio, não haverá nenhum problema (para os amistosos)”, afirmou.

O coordenador das categorias de base do Brasil, Alexandre Gallo, disse também nesta quinta-feira que conta com Neymar para a disputa dos Jogos Olímpicos de 2016 no Rio de Janeiro como um dos três jogadores acima de 23 anos.

“Não dá pensar a Argentina sem o Messi ou Portugal sem Cristiano Ronaldo ou Alemanha sem o Muller. São expoentes que têm que estar nas suas seleções“, disse.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below