Dunga usa próprio exemplo para tentar reerguer seleção após decepção na Copa

quarta-feira, 3 de setembro de 2014 20:54 BRT
 

(Reuters) - A derrota na Copa do Mundo da Itália, em 1990, quando se criou a marca 'Era Dunga', e a volta por cima quatro anos depois nos Estados Unidos como capitão do tetracampeonato são um estímulo usado pelo técnico do Brasil, Dunga, para motivar os jogadores da seleção na reconstrução de uma imagem desgastada pela decepcionante campanha no Mundial deste ano.

Em uma das palestras nos EUA, onde a seleção se prepara para o primeiro amistoso após a Copa, contra a Colômbia, na sexta-feira, o treinador do Brasil mostrou aos jogadores que ele mesmo foi do 'inferno' ao 'céu' dentro da seleção em um intervalo de quatro anos.

O exemplo pessoal tem sido utilizado pelo treinador em palestras e bate papos com os jogadores para motivar o grupo. O Brasil sofreu na Copa em casa a maior derrota de sua história, 7 x 1 para Alemanha, e ainda se despediu do torneio perdendo a disputa do terceiro lugar para a Holanda por 3 x 0.

Os jogadores admitem que precisam recuperar o prestígio e o respeito internacional, além de se reaproximar da torcida. O meia Oscar, titular na Copa do Mundo, gostou da comparação feita por Dunga.

"Vários jogadores aqui estão frustrados com a derrota na Copa e esperamos, com o apoio da história do Dunga, buscar um recomeço, vitórias e a Copa de 2018 na Rússia”, afirmou ele a jornalistas nesta quarta-feira.

“Vamos fazer de tudo para acabar com essa memória ruim. O momento é difícil, mas temos time e jogadores para mudar tudo isso”, completou o meia do Chelsea, autor do gol do Brasil na goleada para a Alemanha.

O jovem zagueiro Marquinhos, que não esteve na campanha frustrada em 2014, olha para o futuro com otimismo. “Temos que tomar esse caso do Dunga como exemplo. Não podemos fugir do passado, mas temos que construir uma nova história”, avaliou o defensor do PSG, da França. “Foi um aprendizado para ele e serve para nós darmos a volta por cima.”

A partida contra a Colômbia faz o Brasil lembrar a Copa do Mundo. O time venceu os colombianos nas quartas de final por 2 x 1, em um jogo que ficou marcado pela contusão que tirou Neymar do torneio.

“Foi um lance que todos ficamos tristes, mas já passou, um perdoou o outro. Será duro porque eles têm um time pronto e com grandes jogadores”, afirmou Oscar.

O meia-atacante Willian, companheiro de Oscar no Chelsea e que também disputou o Mundial, garantiu que não há clima de revanche entre brasileiros e colombianos. “Será um jogo difícil, mas vamos entrar para vencer. A história do Neymar com Zuñiga já passou”, disse ele.

(Por Rodrigo Viga Gaier, no Rio de Janeiro)