Fifa pede explicações a membro de comitê de auditoria detido por suspeita de corrupção

domingo, 7 de setembro de 2014 13:37 BRT
 

Por Simon Evans

MIAMI (Reuters) - A Fifa pediu explicações a um de seus supervisores financeiros que foi preso por suspeita de corrupção e lavagem de dinheiro nas Ilhas Cayman.

Canover Watson, um dos oito membros do Comitê de Auditoria da Fifa e vice-presidente da União de Futebol do Caribe, negou as acusações e foi solto sob fiança no território britânico.

Domenico Scala, chefe do comitê, disse que pediu detalhes a Watson.

"Em acordo com o Comitê de Ética, nós pedimos a Canover Watson se ele pode compartilhar com o Comitê de Auditoria qualquer informação adicional", disse Scala, em um comunicado da Fifa. "Quando tivermos mais informações, podemos considerar as medidas apropriadas".

Esse comitê da Fifa está responsável por garantir "perfeição e confiabilidade das contas financeiras" da entidade organizadora do futebol mundial. 

O comissário anticorrupção das Ilhas Cayman, David Baines, em um comunicado para a mídia local, disse que Watson é suspeito de "quebra de confiança, contrária à seção 13 da Lei Anticorrupção das Ilhas Cayman, assim como abuso de poder público e conflito de interesses".

Essas alegações são referentes ao tempo em que Watson foi chefe do Serviço de Saúde das Ilhas Cayman e foram descobertas em uma investigação da polícia sobre a introdução de um novo sistema de cartões.

Baines também citou "suspeita de lavagem de dinheiro contrária à seção 133 da Lei de Crimes e Procedimentos" no caso de Watson.

Watson negou as acusações em um comunicado para o jornal Cayman Compass.

A Concacaf, a confederação que governa o futebol da América Central, do Norte e do Caribe, disse que está esperando mais detalhes.