Juíza sul-africana absolve Pistorius de todas as acusações de homicídio doloso

quinta-feira, 11 de setembro de 2014 09:35 BRT
 

Por Stella Mapenzauswa

PRETÓRIA (Reuters) - Uma juíza sul-africana absolveu Oscar Pistorius de todas as acusações de homicídio doloso nesta quinta-feira, dizendo que os promotores não foram capazes de provar que o atleta olímpico e paralímpico teve a intenção de matar sua namorada ou um intruso imaginário no ano passado.

Um veredicto sobre uma acusação de homicídio culposo ainda deve ser dado.

Embora a juíza Thokozile Masipa tenha descrito o atleta de 27 anos como uma testemunha “muito pobre” e “evasiva”, ela disse que isso não significa que Pistorius seria necessariamente culpado no caso, o qual, segundo ela, foi inteiramente baseado em provas circunstanciais.

“Simplesmente não há fatos suficientes para garantir isso (assassinato premeditado)", disse Masipa ao tribunal em Pretória.

Ela então absolveu Pistorius, que disse ter atirado na modelo e aluna de direito Reeva Steenkamp sob a falsa impressão de que era uma pessoa invadira a casa e se escondia em um banheiro.

Ao ouvir a decisão da juíza, Pistorius, que enfrentava pelo menos 25 anos de prisão caso fosse considerado culpado, sentou-se aos prantos na corte.

Embora tenha sido inocentado de duas acusações de assassinato, ele ainda pode ser condenado por homicídio culposo de Reeva, que foi alvejada por quatro tiros de pistola 9 mm disparados por ele através da porta do banheiro onde ela estava, em uma casa e luxo em Pretória.

O homicídio culposo pode resultar em até 15 anos de prisão.

Mas o atleta pode ser absolvido, permitindo que ele deixe a corte e potencialmente volte à sua carreira como um dos maiores nomes no atletismo mundial.

(Reportagem adicional de Nomatter Ndebele e Peroshni Govender)

 
Velocista sul-africano Oscar Pistorius durante seu julgamento em um tribunal de Petrória, na África do Sul. 11/09/2014.  REUTERS/Phill Magakoe/Pool