Comentários de Pelé sobre racismo foram desastrosos, diz Ronaldo

domingo, 14 de setembro de 2014 19:03 BRT
 

RIO DE JANEIRO (Reuters) - O ex-atacante da seleção brasileira Ronaldo classificou como “desastroso” o posicionamento assumido por Pelé em relação ao racismo no futebol, ao comentar as ofensas recebidas pelo goleiro Aranha, do Santos, durante uma partida contra o Grêmio no final de agosto.

“Achei desastroso. As pessoas que sofrem um ato de racismo têm que denunciar, têm que fazer valer os seus direitos”, disse o ex-jogador a jornalistas enquanto acompanhava o candidato do PSDB à Presidência, Aécio Neves, em um evento de campanha no Rio de Janeiro.

Na semana passada, Pelé deu declarações em que buscou minimizar o efeito de ofensas racistas por parte de torcedores em estádios de futebol. O tricampeão mundial pela seleção disse se tratarem de  “explosões naturais”,  acrescentando ter sido vítima de muitas manifestações do tipo em seus tempos de jogador.

"Xingavam a gente de todo nome. Eu acho, é claro, que tem que coibir, é uma coisa de racismo e, infelizmente, o racismo não é só contra o negro, é contra o japonês, contra o pobre. Tem que coibir. Mas eu acho que as coisas têm que ser levadas diferente", disse Pelé.

Em uma partida pela Copa do Brasil na Arena do Grêmio, em Porto Alegre, alguns torcedores gremistas chamaram Aranha de “macaco”. O goleiro reclamou com o árbitro e mostrou-se indignado após o jogo. Por causa do episódio, a equipe gaúcha acabou excluída da competição pelo Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD). 

“Todo mundo têm que ser contrário a qualquer ato de racismo. Acho que as pessoas têm que tomar consciência de que são sentimentos muito antigos e atrasados. Acho que as pessoas têm que ser punidas pelos crimes que cometem”, disse Ronaldo.

Uma torcedora do Grêmio foi identificada como uma das autoras das ofensas por meio de imagens de TV, e foi acusada pelo crime de injúria racial pela polícia. O advogado da torcedora disse que ela estava disposta a encontrar Aranha para pedir desculpas, mas o goleiro descartou essa possibilidade.

(Reportagem de Felipe Pontes)