Francês Champagne vai concorrer à presidência da Fifa contra Blatter

segunda-feira, 15 de setembro de 2014 19:41 BRT
 

(Reuters) - O ex-integrante da Fifa Jerome Champagne anunciou formalmente nesta segunda-feira que vai disputar contra Joseph Blatter a eleição do próximo ano para presidente da entidade que comanda o futebol mundial.

"Tenho a honra de informar que acabo de escrever para o comitê eleitoral da Fifa e seu presidente, Sr. Domenico Scala, para confirmar a minha intenção de concorrer à presidência da Fifa", disse Champagne em uma carta em seu site de campanha.

O francês, ex-diretor de relações internacionais da Fifa, anunciou em janeiro que tinha a intenção de concorrer à presidência da Fifa, mas desde então confundiu muitos observadores com seus comentários sobre Blatter.

Blatter, de 78 anos, anunciou na semana passada que vai buscar um quinto mandato e, com a decisão do presidente da Uefa, Michel Platini, de não desafiá-lo, a perspectiva de o suíço ficar sem oposição parecia provável.

Champagne não mencionou Blatter pelo nome em seu comunicado, mas o dirigente de 56 anos disse que era importante ter um debate sobre o futuro do esporte.

"Estou feliz que o debate sobre o futuro da Fifa e do futebol finalmente começou com a perspectiva de vários candidatos", disse ele, acrescentando que gostaria que os candidatos participassem de debates públicos e na televisão em todo o mundo.

"Nós temos que tomar decisões claras sobre se queremos continuar com a polarização econômica atual e os desequilíbrios esportivos que isso traz, ou se estamos dispostos a reequilibrar o esporte em nosso globalizado século 21."

Secretário-geral da Fifa entre 2002 e 2005, Champagne trabalhou em projetos especiais entre 2005 e 2007 e foi diretor de relações internacionais a partir de 2007 até deixar a Fifa em 2010, depois que uma disputa política custou-lhe a posição.

Ex-diplomata, desde 2010 Champagne tem trabalhado como consultor independente de futebol internacional com foco na resolução de problemas em Kosovo, Palestina e Israel e Chipre.

(Reportagem de Simon Evans)

 
O francês Jerome Champagne fala durante entrevista coletiva em Londres. 20/01/2014.REUTERS/Suzanne Plunkett