Comitê de ética manda dirigentes da Fifa devolverem relógios ganhos da CBF na Copa

quinta-feira, 18 de setembro de 2014 12:15 BRT
 

BERNA (Reuters) - Membros do comitê executivo da Fifa estão entre os mais de 50 dirigentes do futebol que terão de devolver os relógios avaliados em 25 mil dólares que lhes foram dados de presente pela Confederação Brasileira de Futebol (CBF) durante a Copa do Mundo.

O comitê de ética da Fifa disse em comunicado que os presentes da CBF infringiram o código de ética da entidade e não devem ser aceitos. No entanto, o comitê acrescentou que não vai iniciar procedimentos contra os dirigentes que devolverem os relógios até 24 de outubro.

"A CBF não deveria ter oferecido os relógios, e aqueles que receberam bolsas de presente deveriam ter prontamente checado se os items no interior eram apropriados e, ao descobrirem o relógio, devolvê-lo ou... reportar o assunto", disse o comitê de ética da Fifa em comunicado.

"Em um esforço para resolver essa questão rapidamente, a câmara de inquérito (do comitê de ética) não vai levar adiante procedimentos éticos sobre esse tema contra os dirigentes que devolveram o relógio Parmigiani que receberam da CBF... até 24 de outubro de 2014."

De acordo com o comitê de ética, a CBF distribuiu 65 bolsas de presente, cada uma contendo um relógio Parmigiani, a um grupo composto por dirigentes do comitê executivo da Fifa, um representante de cada uma das 32 seleções que disputaram a Copa do Mundo e representantes das federações de futebol da América do Sul.

(Reportagem de Brian Homewood)

 
Michael Garcia, presidente do comitê de ética da Fifa, em entrevista coletiva na sede da Fifa, em Zurique. 27/07/2012 REUTERS/Michael Buholzer