Marussia segue Caterham e entra em recuperação judicial

segunda-feira, 27 de outubro de 2014 10:59 BRST
 

Por Alan Baldwin

LONDRES (Reuters) - A equipe de Fórmula 1 Marussia seguiu o caminho da rival Caterham e entrou em recuperação judicial, ficando de fora do Grande Prêmio dos EUA no próximo fim de semana, disseram os novos administradores em comunicado nesta segunda-feira.

A medida deixará apenas nove equipes e 18 carros no grid de largada para a corrida em Austin, no Estado norte-americano do Texas, que será seguida pelo Grande Prêmio do Brasil, em São Paulo. O final da temporada será em Abu Dhabi, em 23 de novembro. 

A Caterham declarou recuperação judicial na semana passada, com o fechamento de sua fábrica e com o afastamento de funcionários até segunda ordem.

“Com o acionista existente incapaz de fornecer o nível exigido de financiamento, a equipe sênior de administração (da Marussia) trabalhou incansavelmente para trazer novos investimentos para a escuderia a fim de assegurar seu futuro de longo prazo, mas, infelizmente, foi incapaz de fazer isso no tempo disponível”, disse o administrador-conjunto da FRP Advisory, Geoff Rowley.

“Assim, não foi deixada alternativa exceto colocar a companhia em concordata."

A notícia já era esperado e o chefe comercial da Fómula 1, Bernie Ecclestone, disse à Reuters no sábado que nenhuma das duas escuderias iria para Austin.

Não houve comentários da Marussia, que está em sua nona temporada na F1, desde a semana passada. A escuderia é detida oficialmente pela empresa Manor Grand Prix Racing, tendo como principal acionista o russo Andrei Cheglakov.

Há algum tempo, relatos nos bastidores indicam que Cheglakov, cuja companhia de carros esportivos Marussia fechou em abriu, não estava preparado para colocar mais dinheiro na equipe e buscava uma saída caso nenhum comprador aparecesse.    Continuação...

 
Piloto da Marussia Alexander Rossi durante treino livre para GP da Bélgica, em agosto. 22/08/2014  REUTERS/Yves Herman