Equipes da F1 descartam possibilidade de boicote no GP dos EUA

sábado, 1 de novembro de 2014 16:07 BRST
 

AUSTIN Texas (Reuters) - As escuderias médias da Fórmula 1 rejeitaram a ideia de possível boicote no Grande Prêmio dos Estados Unidos neste domingo depois que a discussão sobre a divisão das receitas na categoria ficou ainda mais em evidência na sexta-feira.

Com a Marussia e a Caterham em concordata e ausentes em Austin, especulava-se que as outras equipes pudessem também recusar a correr em protesto pelo que elas consideram ser uma divisão injusta das premiações.

O jornal Times, da Inglaterra, trouxe na edição de sábado que o desespero se transformou em raiva depois que Lotus, Sauber e Force India discutiram a possibilidade de não correr.

"Há 50 por cento de chances de isso acontecer, mas e daí?", teria dito um executivo não identificado de uma das equipes. "As equipes pequenas reclamaram durante meses e avisaram que isso poderia acontecer, mas ninguém as ouviu."

O diretor da Lotus, Gerard Lopez, disse à Reuters que não sabia nada sobre o plano, o que remete a lembranças dolorosas do GP dos EUA em Indianápolis em 2005, quando apenas seis carros participaram da corrida, depois de aqueles que usavam pneus Michelin se retirarem da prova.

Aquela foi uma corrida amplamente apontada como um tiro da F1 no próprio pé em um mercado chave para patrocinadores e fabricantes de automóveis.

"Só estou sabendo dessa história agora, e minha resposta é não. Não tenho a menor ideia. Eu tenho que dizer que estou um pouco surpreso", disse Lopez.