Ato racista é uma "desgraça" e Fifa tem que agir, diz Touré

terça-feira, 4 de novembro de 2014 17:36 BRST
 

LONDRES (Reuters) - O meio-campista do Manchester City Yaya Touré disse que as ofensas que sofreu nas mídias sociais são "uma desgraça" e pediu à entidade máxima do futebol mundial, a Fifa, para reavaliar a forma como lida com o racismo.

A polícia de Manchester está investigando alegações de que o jogador de Costa do Marfim sofreu ofensas racistas num período de horas durante a reativação de sua conta no Twitter na segunda-feira.

"Não consigo entender esse tipo de agressão no esporte, é uma desgraça. Precisamos fazer algo para tentar dizer às pessoas que esse tipo de comportamento tem que parar. Eu quero que as pessoas entendam que o que estão fazendo é errado", disse Touré à BBC.

"Tenho tentado dizer à Fifa que eles estão no caminho errado e o que estão fazendo não é bom. Precisamos fazer alguma coisa para encerrar este capítulo."

"Eu tenho sido atacado assim por muitos anos. Nunca vou parar de dizer a eles que estão errados e têm que mudar. O futebol não tem uma cor. Esporte é esporte. Esporte não é violência", acrescentou.

A polícia disse que foi contatada após reclamações de que Touré tinha sido ofendido ao voltar a usar o Twitter depois de uma pausa de cinco meses.

(Por Mike Collett)

 
Meio-campista Yaya Toure durante partida de seu clube, o Manchester City, contra o Stoke City pelo Campeonato Inglês em Manchester. 30/08/2014 REUTERS/Eddie Keogh