Fifa veta chefe da federação italiana por comentário sobre "banana"

quarta-feira, 5 de novembro de 2014 11:23 BRST
 

Por Brian Homewood

BERNA (Reuters) - O presidente da Federação Italiana de Futebol (FIGC), Carlo Tavecchio, foi impedido de ocupar qualquer cargo na Fifa durante seis meses devido a um comentário supostamente racista que fez em agosto.

A Uefa já impôs uma sanção semelhante ao dirigente de 71 anos, e a decisão anunciada nesta quarta-feira pela Fifa foi mais um constrangimento para a FIGC, cuja própria investigação inocentou Tavecchio.

O dirigente despertou revolta ao fazer um comentário sobre uma suposta falta de oportunidades para jovens jogadores italianos em times profissionais do país. Ele citou um jogador africano fictício chamado "Opti Poba" que estaria tirando vaga de jovens italianos.

“Na Inglaterra, eles identificam os jogadores que estão chegando e, se forem profissionais, têm chance de jogar. Aqui, em vez disso, temos o 'Opti Poba', que até então comia bananas e de repente está na escalação da Lazio”

A Fifa declarou que Tavecchio ficará “inelegível para qualquer cargo oficial da Fifa por um período de seis meses a partir de 7 de outubro de 2014”.

Como chefe de uma das maiores federações do mundo, normalmente Tavecchio seria considerado uma escolha natural para um dos comitês da Fifa.

Apesar da polêmica, ele saiu vencedor de uma eleição da FIGC contra Demetrio Albertini, ex-meio-campista do Milan, com o apoio de clubes de divisões menores e de ligas amadoras, resultado que despertou mais dúvidas sobre a postura italiana em relação ao racismo no futebol.

 
Presidente da Federação Italiana de Futebol, Carlo Tavecchio, em foto de arquivo em Roma. 19/08/2014  REUTERS/Alessandro Bianchi