November 5, 2014 / 6:58 PM / in 3 years

Hamilton espera apoio de brasileiros para ficar mais perto do título da F1

4 Min, DE LEITURA

Lewis Hamilton segura camisa do Brasil durante entrevista em São Paulo nesta quarta-feira.Paulo Whitaker

SÃO PAULO (Reuters) - Líder da Fórmula 1 a duas corridas do final do campeonato, Lewis Hamilton elogiou a pista de Interlagos nesta quarta-feira e espera contar com o apoio da torcida brasileira no domingo para se aproximar do bicampeonato.

"Todo ano que venho ao Brasil ganho mais e mais apoio da torcida. É uma das melhores corridas do calendário, amo essa pista", disse o piloto britânico a jornalistas em um hotel em São Paulo.

"Sempre venho aqui pensando que (Ayrton) Senna correu aqui. Para mim é uma grande honra e espero ter apoio aqui."

Hamilton afirmou que tinha acabado de se encontrar com torcedores que o apoiam, com camisas com seu nome, e admitiu ter ficado surpreso. "Para mim isso é incrível, nunca pensei que aconteceria comigo", disse.

"Quero que o torcedor vibre comigo, quero que trabalhemos juntos, esse apoio é importante", acrescentou.

O piloto da Mercedes contou que sempre se identificou com o Brasil por causa da vibração e paixão do país pelo esporte e também por Senna, seu ídolo na Fórmula 1, que morreu há 20 anos.

Foi na pista de Interlagos que Hamilton conquistou seu único título mundial, em 2008, na última volta. Mas ele nunca ganhou o GP do Brasil e uma vitória no domingo o deixaria ainda mais perto de seu bicampeonato.

Hamilton tem 24 pontos de vantagem em relação a seu companheiro de equipe, o alemão Nico Rosberg, mas 75 pontos ainda estão em disputa, já que a prova que encerra o campeonato, o GP dos Emirados Árabes, em 23 de novembro, terá pontuação dobrada.

O britânico sabe que uma falha mecânica ou uma batida na última corrida pode fazer ruir uma ótima temporada que ele tem feito até agora, mas o piloto garantiu que isso não tira seu sono.

"Eu não fico pensando muito nisso, e conto com o apoio da minha família e amigos", explicou.

Hamilton ganhou nos Estados Unidos, no último fim de semana, sua quinta corrida consecutiva e a 10ª na temporada, entrando para o livro dos recordes como o piloto britânico com o maior número de vitórias na F1 - seus 32 triunfos agora superam o campeão mundial de 1992, Nigel Mansell.

"A temporada tem sido fenomenal, principalmente a segunda metade... estou passando pelo melhor ano da minha carreira de modo geral. Fui amadurecendo como piloto, tanto dentro como fora da pista", disse.

A experiência adquirida desde a sua estreia na F1, em 2007, segundo ele, o ajudou a lidar com os problemas de relacionamento com Rosberg.

"Existem diferenças como em qualquer lugar, mas não é nada que eu não tenha vivenciado antes. Estou acostumado com essas coisas", afirmou o britânico, antes de elogiar seu companheiro e único rival pelo título da F1.

"Conheço Nico há muito tempo e sei que ele é muito forte, continua sempre atacando e imagino que ele virá assim, mas estou preparado."

O confronto entre os dois pilotos da Mercedes, que já conquistou o título de construtores, dominou a temporada da F1.

No Brasil, eles podem superar o recorde de 10 dobradinhas que atualmente dividem com a McLaren, que estabeleceu marca em 1988 com Alain Prost e Ayrton Senna. Naquela época, porém, havia apenas 16 corridas, em comparação com as 19 atuais.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below