FIFpro defende que jogadores sem salário sejam liberados de clube após 30 dias sem receber

quinta-feira, 6 de novembro de 2014 13:44 BRST
 

ZURIQUE (Reuters) - Os jogadores de futebol deveriam ser liberados de seus contratos com os clubes assim que completassem 30 dias sem receber salário, afirmou o sindicato internacional da categoria, o FIFPro, nesta quinta-feira.

"O FIFPro está negociando uma mudança nos regulamentos para sancionar o clube e permitir ao jogador encerrar seu contrato e ficar livre para buscar emprego em outro lugar após 30 dias sem pagamento", disse o sindicato em comunicado.

"Os próximos meses serão decisivos, à medida que o FIFPro busca finalizar um acordo sobre pagamentos em atraso com o objetivo de implementação no mais tardar até março de 2015."

O secretário-geral do FIFPro, Theo van Seggelen, disse que os jogadores têm o direito de receberem o pagamento em dia, assim como profissionais de outros setores.

"O respeito a contratos e o tratamento profissional aos jogadores de futebol como a qualquer outro emprego em um ambiente de trabalho normal não é muito a se pedir", disse.

No mundo inteiro há muitos casos de jogadores que passam meses sem receber salário. No Brasil, diversos clubes da primeira divisão sofrem com esse problema há décadas, e os jogadores podem pedir a liberação contratual na Justiça após três meses de salários atrasados.

A FIFPro também pediu à Fifa que implemente logo a proposta de proibir a participação de empresários nos contratos de jogadores.

A Fifa anunciou a proibição em setembro e disse que criaria um grupo de trabalho para implementar a nova regra após um período de transição.

(Por Brian Homewood, em Berna)

 
Jogadores do Racing Santander deixam o campo depois de se recusarem a jogar por conta de salários atrasados. 30/01/2014 REUTERS/Nacho Cubero