Hiddink promete deixar a Holanda se seleção perder próxima eliminatória da Euro 2016

sexta-feira, 7 de novembro de 2014 16:15 BRST
 

AMSTERDÃ (Reuters) - O técnico da seleção holandesa, Guus Hiddink, irá entregar o cargo depois de meros quatro meses se o time não vencer sua próxima partida na eliminatória da Euro 2016 na semana que vem contra a Letônia, disse ele nesta sexta-feira.

“Se perdermos para a Letônia, tomarei a decisão lógica. Não discuti isso com os jogadores, mas para mim um empate também não seria aceitável”, declarou o treinador de 67 anos em uma coletiva de imprensa.

A segunda passagem de Hiddink pelo time holandês se transformou rapidamente em uma pequena crise, depois que as derrotas para a República Tcheca e para a Islândia nas eliminatórias do Grupo A em setembro e outubro deixaram a seleção com três pontos em igual número de jogos.

A Holanda enfrenta o México em um amistoso na quarta-feira e recebe a Letônia na Arena Amsterdã no domingo.

Mas Hiddink também foi contundente a respeito de suas chances de progredir.

“Sim, vamos nos classificar”, afirmou sobre o grupo de seis times, que ainda inclui Cazaquistão e Turquia.

Os nove líderes dos grupos e os nove segundos colocados, mais o melhor terceiro colocado, irão se classificar diretamente para o torneio na França. Os oito terceiros colocados remanescentes disputarão uma repescagem para determinar os quatro últimos classificados.

Hiddink está sob pressão desde que os holandeses perderam de 2 x 0 dos islandeses no mês passado, e tem havido intensas conversas nos bastidores para se tentar descobrir o motivo da queda dramática no desempenho poucos meses depois de a seleção ficar com a terceira colocação na Copa do Mundo no Brasil.

(Reportagem de Mark Gleeson)

 
Hiddink concede entrevista em 1 de agosto, durante sua apresentação como técnico da Holanda.  REUTERS/Toussaint Kluiters/United Photos