Pelé admite “susto” mas diz que não teve medo de morrer

terça-feira, 9 de dezembro de 2014 14:45 BRST
 

Por Tatiana Ramil

SÃO PAULO (Reuters) - O tricampeão mundial Pelé admitiu que levou um “susto” durante as duas semanas que passou internado em um hospital de São Paulo, mas garantiu nesta terça-feira, ao receber alta, que não teve medo de morrer.

Bem-humorado e aparentando estar bem, apesar de caminhar com certa dificuldade, Pelé fez brincadeiras ao conceder uma entrevista coletiva ainda no Hospital Albert Einstein ao lado dos médicos e da namorada, Márcia.

O ex-jogador, de 74 anos, foi internado em 24 de novembro para tratar uma infecção urinária. Ele passou alguns dias em uma Unidade de Terapia Intensiva (UTI) e passou por tratamento de suporte renal.

"Falar que eu fiquei com medo de morrer, isso não porque sou homem de Três Corações", disse o ex-jogador em uma referência à cidade mineira onde nasceu.

Pelé fez um agradecimento à equipe médica e às pessoas que mandaram mensagens de apoio durante o período em que esteve internado. Segundo ele, fãs da Europa e até da China e do Paquistão fizeram manifestações de apoio e surpreenderam o ex-jogador do Santos.

“Antes de mais nada eu queria agradecer à equipe médica que me acompanhou. Realmente foi um susto”, disse.

Pelé disse ter sentido “calafrios” antes de ser internado e que começou “a não ter noção" do que estava acontecendo. “Quando eu melhorei, já estava aqui em São Paulo. Eu sentia calor e logo depois sentia frio”, explicou ele, que estava em Santos quando começou a se sentir mal e foi internado na capital paulista.

Segundo os médicos, o momento mais preocupante ocorreu do dia 27 para 28, quando Pelé foi internado na UTI.   Continuação...

 
Pelé sorri durante entrevista coletiva em São Paulo. 09/12/2014  REUTERS/Paulo Whitaker