Ex-atacante colombiano Asprilla diz ter sido ameaçado por criminosos

quarta-feira, 10 de dezembro de 2014 14:11 BRST
 

BOGOTÁ (Reuters) - O ex-atacante da seleção da Colômbia Faustino Asprilla revelou que vai deixar sua cidade-natal, Tuluá, após ter sido ameaçado por criminosos que tentam extorqui-lo.

Asprilla, que jogou no Parma, no Palmeiras e no Newcastle United nos anos 1990, declarou na terça-feira que homens mascarados e armados entraram em sua propriedade rural nos arredores de Tuluá, no sudoeste colombiano.

“Eram quatro (homens) em dois carros... eles me ameaçaram, me disseram para contactar o chefe dele, porque se não iriam me matar e a minha família”, disse Asprilla, segundo o jornal El Tiempo.

“Tive que deixar minha própria terra, Tuluá, por ser vítima de extorsão de um grupo. Minha família foi ameaçada na minha presença, meu pai, minhas irmãs”, afirmou o ex-jogador, de 45 anos, em comunicado.

“Indefeso e magoado, tomei a decisão de deixar Tuluá pela segurança dos meus entes queridos”, afirmou Asprilla, que se aposentou 10 anos atrás, depois de uma carreira que incluiu títulos da Recopa Europeia e da Copa da Uefa, com o Parma, e atuações com a seleção colombiana em duas Copas do Mundo.

O caso de Asprilla, um de vários semelhantes na região, está sob os cuidados do chefe da polícia nacional, Rodolfo Palomino, que garantiu proteção a ele e a seus familiares enquanto a corporação tenta identificar e capturar os culpados, disseram fontes da polícia.

(Por Luis Jaime Acosta)