Quatro grandes ainda estão no topo, diz Federer à próxima geração de tenistas

sexta-feira, 9 de janeiro de 2015 12:21 BRST
 

Por Julian Linden

BRISBANE (Reuters) - Roger Federer sabe que a próxima geração de tenistas está se aproximando cada vez mais dos Quatro Grandes, como é apelidado o quarteto de elite que tem dominado o tênis masculino na última década.

O próprio Federer não vence um torneio do Grand Slam desde 2012, e os outro membros do grupo –Rafael Nadal, Novak Djokovic e Andy Murray– têm enfrentado lesões e problemas de saúde.

A queda no rendimento e dos quatro tenistas tem coincidido com a ascensão de uma nova leva de tenistas que desafiam os mais experientes, num sinal de que talvez o reinado deles esteja chegando ao fim.

Stan Wawrinka venceu o Aberto da Austrália do ano passado e Marin Cilic venceu o Aberto dos EUA –marcando a primeira vez em que dois tenistas de fora dos quatro primeiros do ranking mundial venceram diferentes títulos de Grand Slam em uma mesma temporada. 

Mas Federer não está convencido de que uma passagem de bastão seja iminente. Pelo contrário. O suíço de 33 anos acredita que os resultados do ano passado foram uma anomalia e que o estado normal das coisas voltará em 2015.

“Tivemos algumas lesões, e não é porque não jogamos bem ou talvez que tenhamos caído um pouco”, disse ele a jornalistas no torneio internacional de Brisbane, na Austrália, nesta sexta-feira.

“Rafa teve suas questões, Murray operou as costas, eu tive um ano difícil em 2013. O único que se manteve consistente de verdade foi Novak... e ele fez por onde e se aproveitou disso em alguma medida. Ele ainda estava lá quando a importância era maior”, acrescentou o tenista suíço.

Djokovic encerrou 2014 como número 1 do mundo e sua temporada teve como destaque seu segundo título em Wimbledon, onde derrotou Federer em uma final épica.   Continuação...

 
Roger Federer em partida do Torneio de Brisbane, na Austrália. 09/01/2015 REUTERS/Jason Reed