Fogos iluminam vitória de Venus em dia de vitórias americanas na Austrália

segunda-feira, 26 de janeiro de 2015 13:03 BRST
 

Por Greg Stutchbury

MELBOURNE (Reuters) - Os fogos de artifício que iluminaram o céu em comemoração ao Dia da Austrália se encaixaram perfeitamente com a performance explosiva de Venus Williams e da legião feminina norte-americana no Aberto da Austrália, nesta segunda-feira.

A explosão de fogos, que interromperam as partidas na quadra Rod Laver, começou minutos após Venus ter avançado pela primeira vez para as quartas de final de um Grand Slam desde o Aberto dos EUA de 2010 com uma vitória sobre a sexta cabeça de chave, Agnieszka Radwanska.

A vitória da tenista, de 34 anos, colocou três norte-americanas entre as oito melhores de um Slam pela primeira vez desde o Aberto dos EUA de 2004. Junto a Venus estão sua irmã mais jovem, Serena, e a adolescente Madison Keys.

O primeiro cabeça de chave masculino, Novak Djokovic, também subiu mais um degrau ao derrotar Gilles Muller, de Luxemburgo, e enfrentará Milos Raonic, que se tornou o primeiro canadense desde Robert Powell, em 1912, a alcançar três vezes as quartas de final de um Grand Slam.

"Nunca ter enfrentado Gilles antes era perigoso", disse Djokovic em entrevista ao lado da quadra. "Achei desconfortável algumas vezes, mas encontrei uma forma de avançar."

O vice-campeão do Aberto dos EUA, Kei Nishikori, que busca se tornar o primeiro homem asiático a vencer um Grand Slam, conquistou uma vitória marcante sobre o espanhol David Ferrer.

"Estava me sentindo muito confiante porque não tinha nada a perder, então joguei quase 100 por cento de tênis", disse o japonês.

Nishikori enfrentará o atual campeã, Stanislas Wawrinka, nas quartas de final, depois que o suíço conseguiu se vingar da derrota para Guillermo Garcia-Lopez na primeira rodada do Aberto da França do ano passado.

Serena também conseguiu revanche de uma derrota em Roland Garros no ano passado ao passar pela espanhola Garbine Muguruza em três sets.

 
Tenista norte-americana Venus Williams comemora vitória sobre polonesa Agnieszka Radwanska no Aberto da Austrália. 26/01/2015 REUTERS/Issei Kato