Agência anticorrupção da China pede jogo limpo nos esportes e fim da obsessão por medalhas

terça-feira, 27 de janeiro de 2015 11:12 BRST
 

Por Sui-Lee Wee

PEQUIM (Reuters) - A entidade que regulamenta os esportes na China se comprometeu a abandonar a obsessão da nação por medalhas de ouro, depois que o órgão do Partido Comunista encarregado de combater a corrupção alertou para os prejuízos da combinação de resultados e da trapaça nos esportes.

Muitos chineses relacionam os escândalos nos esportes na China à busca de medalhas a todo custo, e criticam o sistema por impor muita pressão sobre os atletas para que tenham sucesso em um modelo desportivo rígido, no estilo soviético.

A Administração Geral do Esporte da China disse que o desejo por medalhas de ouro faz com que "um pequeno número de atletas e treinadores passe por cima de tudo para alcançar bons resultados nas competições".

"A busca ilegal, sem escrúpulos e fraudulenta de medalhas de ouro não só distorce o espírito do esporte, mas também prejudica o desenvolvimento da carreira e os interesses nacionais”, disse a agência em um comunicado divulgado na segunda-feira.

"Isso prejudica a imagem do esporte e vai contra seus princípios. Devemos resolutamente nos opor e efetivamente eliminar isso", assinalou.

O órgão regulador de esportes elaborou o relatório em resposta às conclusões apresentadas pela Comissão Central de Inspeção Disciplinar, uma agência anticorrupção do Partido Comunista, que constatou fraudes e manipulação de resultados.

De acordo com a agência, o país vai acabar com os prêmios para as províncias cujos atletas ganhem medalhas de ouro nos Jogos Olímpicos e Jogos Asiáticos, bem como a classificação das províncias e cidades por medalhas de ouro nos Jogos Nacionais, realizados a cada quatro anos.

O esporte na China, em particular o futebol, tem sido assolado por corrupção e escândalos de manipulação de resultados. Desde 2009 a ação anticorrupção prendeu ou puniu 9 dirigentes, 4 juízes, 13 jogadores e treinadores e 17 empregados de clubes.

O presidente Xi Jinping, um fã declarado do futebol, como centenas de milhões de seus compatriotas, já classificou como uma vergonha nacional a corrupção nesse esporte na China.

A natação chinesa também tem sido manchada por escândalos de doping. No ano passado, surgiram notícias de que Sun Yang, o nadador masculino mais bem-sucedido da China, tinha sido secretamente proibido de nadar depois que ele testou positivo para o estimulante trimetazidina, o que provocou clamor no país.

 
Equipe chinesa comemora medalha de ouro no revazamento 4x100m livre nos Jogos Asáticos, em Incheon. 24/09/2014 REUTERS/Kim Kyung-hoon