Rio-2016 estuda parceria com empresa de aluguel por temporada para ampliar oferta de quartos

quarta-feira, 25 de fevereiro de 2015 18:40 BRT
 

RIO DE JANEIRO (Reuters) - O Comitê Rio 2016 deve anunciar em breve parceria com uma empresa de aluguel por temporada para ampliar a oferta de habitação no Rio de Janeiro em até 18 mil quartos no período dos Jogos Olímpicos, de acordo com o presidente do Comitê, Carlos Arthur Nuzman.

Três empresas estão na concorrência que irá definir a nova parceira na área de hospedagem, entre elas a norte-americana Airbn, de acordo com uma fonte da organização. As outras concorrentes são Hotel Urbano e AlugueTemporada, segundo uma outra fonte envolvida na organização da Olimpíada.

A oferta de vagas de hotel no Rio para os Jogos sempre foi uma preocupação do Comitê Olímpico Internacional (COI). Quando se candidatou aos Jogos, a cidade possuía 18 mil vagas de hotel, e assumiu um compromisso de ampliar a oferta para 40 mil na competição.

Segundo Nuzman, hoje o Rio já possui 36 mil vagas e as 4 mil restantes ficarão prontas a tempo. Mesmo assim, a cidade está em busca de aumentar a oferta de habitação nos Jogos Olímpicos, acreditando que a demanda será alta.

“Podemos ofertar muito mais do que o previsto e pode chegar a 18 mil, um adicional equivalente à metade do que temos hoje", disse Nuzman a jornalistas, nesta quarta-feira, após encontro da comissão de inspeção do COI na cidade.

Além de ampliar a oferta, a medida poderia baratear o custo da hospedagem na cidade durante os Jogos. O alto custo dos hotéis foi um problema enfrentado por torcedores que viajaram ao país para a Copa do Mundo do ano passado, o que levou o governo a fazer pressão por uma redução de preços antes do Mundial.

Segundo Nuzman, somente durante o Carnaval, mais de 88 mil quartos foram alugados no Rio de Janeiro em sites de aluguel por temporada, num exemplo do potencial do acordo para os Jogos de 2016. Essa alternativa engloba locação de quartos em residências, apartamentos e casas que não fazem parte da rede hoteleira convencional.

(Por Rodrigo Viga Gaier)