Esporte francês presta tributo a estrelas mortas em acidente na Argentina

quarta-feira, 11 de março de 2015 12:05 BRT
 

PARIS (Reuters) - O mundo francês dos esportes prestou tributo nesta quarta-feira às três estrelas mortas em um acidente de helicóptero na Argentina durante filmagem de um reality show nesta semana.

Enquanto autoridades esportivas, parentes e amigos prestaram homenagens na sede do instituto nacional esportivo de Paris, o Insep, a mídia local se focou na possibilidade de que um erro do piloto pode ter causado o acidente que matou a iatista Florence Arthaud, a nadadora olímpica medalhista de ouro Camille Muffat e o pugilista olímpico medalhista de bronze Alexis Vastine.

"O esporte francês perdeu três estrelas que brilharam... estas estrelas vão viver como marcos na memória coletiva", disse Thierry Braillard, ministro junior de Esportes e Juventude.

No total, 10 pessoas -oito franceses e dois argentinos- morreram quando dois helicópteros colidiram em baixa altitude na província remota de La Rioja, na tarde de segunda-feira. Não houve sobreviventes no acidente, que ocorreu às 17h15 (horário local).

Além de ministros e chefes de federações esportivas presentes no tributo em Paris, estava Alain Vastin, pai do pugilista meio-médio-ligeiro, cuja irmã morreu em um acidente de carro em janeiro.

"Perder dois filhos em dois meses - a vida é injusta", disse Alain Vastine, chorando, ao canal de televisão francês i>TELE. O pai assistiu na sede da Insep a amigos colocando flores na frente de fotos dos três atletas mortos, e houve um minuto de silêncio.

Investigadores franceses de acidentes aéreos foram para a Argentina tentar descobrir o que realmente aconteceu, e magistrados franceses vão abrir um inquérito.

Dois pilotos e diversos membros da produtora ALP-TV envolvidos na filmagem do programa "Dropped" para o canal privado TF1 estão entre os mortos.

Dentre os três atletas mortos, provavelmente Florence Arthaud, de 57 anos, era a mais famosa, conhecida como "Noiva do Atlântico" - apelido que ganhou após viagens desafiadoras, incluindo um recorde de 1990 pela travessia solo do Atlântico mais rápida.   Continuação...

 
Retratos dos três atletas mortos, durante tributo em Paris.    11/03/2015   REUTERS/Christian Hartmann