Promotoria pede 7 anos de prisão para ex-presidente do Barcelona por "caso Neymar"

segunda-feira, 23 de março de 2015 12:59 BRT
 

MADRID (Reuters) - A promotoria pública da Espanha pediu nesta segunda-feira uma condenação de sete anos e meio de prisão para o ex-presidente do Barcelona Sandro Rosell por supostos delitos tributários na contratação do atacante Neymar.

Em documento enviado ao tribunal que investiga a causa, a promotoria também pediu que Rosell pague uma multa de 25 milhões de euros e solicita dois anos de prisão para o atual presidente do clube de futebol, Josep María Bartomeu.

O juiz do "caso Neymar", Pablo Ruz, deu um primeiro passo na abertura do julgamento, há duas semanas, ao acusar os dois presidentes do clube de fraudarem pelo menos 9 milhões de euros em impostos nos mandatos de 2011 e 2013.

A equipe catalã disse inicialmente que pagou 57,1 milhões de euros por Neymar, mas admitiu mais tarde que a contratação custou cerca de 100 milhões.

O Barcelona anunciou que vai apresentar uma apelação contra a decisão judicial, considerando que as provas não mostram que foi cometido qualquer delito.

(Reportagem de Rodrigo de Miguel)

 
Ex-presidente do Barcelona Sandro Rosell deixa tribunal de Madri. 22/07/2014 REUTERS/Andrea Comas