12 de Abril de 2015 / às 21:54 / 3 anos atrás

Pellegrini sente a pressão após dolorosa derrota do Manchester City

MANCHESTER, Inglaterra (Reuters) - Quando a torcida canta para o técnico adversário que ele “será demitido pela manhã” já é bastante irritante, mas quando o cântico é dirigido ao técnico do atual campeão, e o seu time acabou de ser humilhado pelo rival, você sabe que há um grande problema.

O técnico do Manchester City, Manuel Pellegrini, viu a sua equipe ser derrotada por 4 x 2 pelo Manchester United, em Old Trafford, neste domingo, apesar de ter saído na frente e de ter vencido os últimos quatro dérbis.

Agora, ele perdeu seis das últimas oito partidas e qualquer chance realística de manter o título da Premier League desapareceu, com o líder Chelsea 12 pontos à frente do quarto colocado City.

O chileno Pellegrini sempre conseguiu manter a calma, e isso funcionou muito bem quando o seu time arrebatou o título da Premier League das mãos do Liverpool, ano passado.

Nesta temporada, no entanto, essa mesma abordagem parece completamente equivocada, quando uma postura mais dura parece mais apropriada para uma equipe envelhecida e que aparenta nuncar ter jogado junto anteriormente.

Além dos dois gols de Agüero, o City não jogou nada do que se espera de um dos times mais caros do mundo, e apesar de alguma culpa da diretoria por contratações questionáveis, Pellegrini também tem que assumir alguma responsabilidade.

Seus comentários após o dérbi dificilmente vão passar confiança ao torcedor do City, já que o atual campeão corre o risco de sair do grupo dos quatro primeiros, como fez o United na temporada passada, tendo ganhado o título com Alex Ferguson na campanha anterior.

“É muito difícil estar em quarto lugar. A Premier League tem times difíceis”, disse Pelegrini aos repórteres.

“Precisamos lutar até o final da temporada. Para o clube, para mim, para os jogadores é muito importante disputar a Liga dos Campeões. Temos seis jogos pela frente para tentar fazer isso. Fomos segundos colocados a temporada inteira”.

Se ele quiser olhar para o histórico recente para descobrir qual será o seu destino ao fim da temporada, Pellegrini precisa pensar no que aconteceu com o ex-técnico do City, Roberto Mancini.

O italiano venceu o título de 2012, mas foi demitido ao final da temporada seguinte após ter ficado em segundo lugar e sem avançar na fase de grupos da Liga dos Campeões.

Pellegrini levou o City às oitavas de final este ano, mas foi derrotado pelo Barcelona nessa fase, e a temporada foi por água abaixo desde então, ao nível de ele estar em uma posição ainda pior que a de Mancini, quando este foi demitido.

Sua defesa foi particularmente terrível contra o United, com Ashley Young conseguindo duas chances de marcar à queima-roupa no primeiro gol, e com a ameaça aérea Marouane Fellaini cabeceando livre no segundo.

Juan Mata estava livre no terceiro, e Chris Smalling, totalmente desmarcado para cabecear no quarto.

A saída do zagueiro e capitão Vincent Kompany no intervalo teve pouca importância, porque ele não vem sendo o mesmo recentemente, e seu substituto Eliaquim Mangala não fez nada para justificar o investimento de 46,8 milhões de dólares em agosto.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below