É quase impossível me vencer no meu melhor, diz Bolt no Rio

sexta-feira, 17 de abril de 2015 14:04 BRT
 

RIO DE JANEIRO (Reuters) - O velocista jamaicano Usain Bolt, atual bicampeão olímpico e recordista mundial dos 100m e 200m, disse nesta sexta-feira que se preocupa mais em ficar livre de lesões do que com adversários, porque se considera quase invencível nas pistas quando está no auge da forma.

"Digo para vocês que não estou preocupado com ninguém, porque sei que no meu melhor é quase impossível me vencer. Tudo que eu tenho que fazer é dar o meu melhor e ficarei bem", disse Bolt em entrevista coletiva no Rio de Janeiro, onde competirá no domingo no evento Mano a Mano - Bolt Contra o Tempo, no Jockey Clube Brasileiro.

Vencedor das duas edições anteriores da prova, que era realizada na praia de Copacabana, Bolt enfrentará desta vez o medalhista de ouro dos Jogos Pan-Americanos do Rio 2007, Churandy Martina, que corre atualmente pela Holanda, o norte-americano Ryan Bailey, medalhista de prata no revezamento 4x100m em Londres 2012, e um brasileiro que será definido após as provas classificatórias no sábado.

Pela terceira vez no Rio, Bolt ressaltou que o conhecimento do clima brasileiro facilita sua preparação para disputar a Olimpíada de 2016 na cidade, a qual disse que será a última da carreira antes da aposentadoria.

"Depois da Olimpíada de 2016 eu faço só mais uma temporada a pedido dos meus patrocinadores", disse o jamaicano, que dominou as provas de velocidade nos Jogos de Pequim 2008 e Londres 2012.

Em agosto, Bolt vai disputar o Mundial de Atletismo em Pequim, onde tentará voltar a vencer após uma pausa nas competições durante o ano de 2014 por conta de uma lesão no pé.

O atleta assegurou que está em melhor forma agora do que na última visita ao Rio, e pretende aproveitar a oportunidade como treino para o Mundial. Perguntado sobre o tempo que espera fazer na corrida de domingo, o velocista afirmou não estar preocupado com marcas.

"Não tenho ideia. Só quero conseguir me manter sem lesões e competir no meu melhor", afirmou.

Além da prova de Bolt, o evento no Rio terá uma disputa feminina entre as medalhistas olímpicas Carmelita Jeter (EUA), Kerron Stewart e Veronica Campbell-Brown (ambas da Jamaica), e uma corrida entre os atletas paralímpicos Richard Browne, Felix Streng, Paul Peterson e o brasileiro Alan Fonteles.

(Reportagem de Caio Saad)

 
Usain Bolt corre ao lado de jovens da Vila Olímpica da Mangueira. 16/04/2015 REUTERS/Ricardo Moraes