Governo do Rio descarta contaminação na Baía de Guanabara para Jogos de 2016

sexta-feira, 24 de abril de 2015 19:00 BRT
 

RIO DE JANEIRO (Reuters) - Apesar de reconhecer que a meta de tratar 80 por cento do esgoto lançado na Baía de Guanabara não será atingida para os Jogos de 2016, o governo do Rio de Janeiro garante que os atletas que participarão das provas de vela no local não precisam ter medo de contaminação e que a água da baía vai estar em condições internacionais de balneabilidade.

O medo foi manifestado por alguns atletas, principalmente britânicos, que estariam fazendo um tratamento alimentar especial a base de vitaminas para aumentar a imunidade e evitar problemas no contato com a água da Baía de Guanabara.

“Não há risco de contágio, doença ou coisa parecida na Baía de Guanabara”, disse o secretário estadual da Casa Civil, Leonardo Espíndola, a jornalistas nesta sexta-feira. “As cinco raias estarão dentro dos níveis internacionais de balneabilidade.”

Segundo o secretário, membros das equipes de vela dos países que participarão dos Jogos já estiveram no Rio para analisar e até colher amostras da aǵua da Baía de Guanabara.

“Eles puderam medir em laboratórios da confiança deles e nenhum índice de colifórmio fecal ficou fora do padrão”, afirmou Espíndola.

Atualmente, 49 por cento do esgoto lançado na Baía já tem tratamento, sendo que a meta para 2016 era de 80 por cento. Tal objetivo só deve ser atingido no fim de 2018, de acordo com autoridades estaduaias.

Para tentar minimizar a sujeira lançada na baía, onde é comum ver lixo, plástico, carcaças de carros e até móveis, foi feita uma reformulação no programa de ecobarcos e ecobarreiras que atuam no local.

O programa está parado desde o começo do ano e deve ser retomado em maio. “Estamos melhorando esse projeto e vamos colocar 17 ecobarreiras na foz dos principais rios que migram para a baía. Vamos também colocar os ecobarcos de forma mais eficiente, com gerenciamento e inteligência”, declarou o secretário.

No ano passado, foram realizados os primeiros testes em provas internacionais. “O desafio é grande, mas estamos tranquilos que teremos perfeitas condições de competição em 2016, o que foi provado no evento-teste do ano passado”, afirmou.   Continuação...

 
Lixo cobre as margens do canal Cunha, que deságua na Baía de Guanabara. 31/03/2015.   REUTERS/Sergio Moraes