Monte Everest não está oficialmente fechado para montanhistas, diz Nepal

segunda-feira, 4 de maio de 2015 09:39 BRT
 

KATMANDU (Reuters) - O Monte Everest continua aberto para os alpinistas, disse um alto funcionário do departamento de turismo do Nepal nesta segunda-feira, apesar das avalanches após o devastador terremoto do mês passado que destruíram grande parte da rota estabelecida até o cume do pico mais alto do mundo.

O pior terremoto do Nepal em décadas já matou mais de 7.200 pessoas, incluindo pelo menos 18 alpinistas no Everest, atingidos por uma avalanche enorme que destruiu parte do acampamento base.

Mas o Nepal, que arrecada milhares de dólares com o alpinismo, tem hesitado sobre se deve ou não fechar oficialmente a montanha, e nesta segunda-feira ainda estava deixando a decisão a cargo de cada montanhista.

Cada alpinista paga 11 mil dólares para escalar o Everest, e 357 se registraram para esta temporada de escalada.

"O governo não vai anunciar oficialmente o encerramento porque demos a autorização para os montanhistas", afirmou Tulsi Prasad Gautam, do departamento de turismo do Nepal, em declaração à Reuters.

"A rota ainda está danificada e os alpinistas no acampamento base não acreditam que será restabelecida tão cedo. Cabe aos alpinistas e aos organizadores que estão no acampamento base tomarem uma decisão. Não estamos pedindo para fazerem uma coisa ou outra."

Gautam, que na última quinta-feira disse que uma equipe poderia reparar no prazo de uma semana a rota através das traiçoeiras cascatas de gelo do glacial de Khumbu, afirmou nesta segunda-feira que os pequenos tremores ainda estavam sendo sentidos no Evereste.

No ano passado, depois que 16 guias nepaleses, conhecidos como xerpas, morreram em uma avalanche, outros xerpas se recusaram a sair, em respeito aos colegas, o que resultou em um boicote à expedição. Mas a montanha não foi fechada, e as autorizações foram prorrogadas.

(Reportagem de Gopal Sharma e Clara Ferreira Marques)

 
Alpinistas observam o Monte Everest após cancelamento de escalada. 27/04/2015 REUTERS/Phurba Tenjing Sherpa