Ex-presidente da CBF Marin e membros da Fifa são presos na Suíça em investigação de corrupção

quarta-feira, 27 de maio de 2015 19:10 BRT
 

Por Mike Collett e Brian Homewood

ZURIQUE (Reuters) - Sete dos dirigentes mais poderosos do mundo do futebol, incluindo o ex-presidente da CBF José Maria Marin, podem ser extraditados para os Estados Unidos para enfrentar acusações de corrupção após serem presos nesta quarta-feira na Suíça, onde as autoridades anunciaram ainda uma investigação criminal sobre a escolha das sedes das duas próximas Copas do Mundo.

O esporte mais popular do planeta mergulhou no caos depois que autoridades norte-americanas e suíças divulgaram inquéritos separados sobre as supostas irregularidades na Fifa.

Autoridades dos EUA declararam que um total de nove dirigentes do futebol e cinco executivos dos ramos de mídia e marketing esportivo enfrentam acusações de corrupção envolvendo mais de 150 milhões de dólares em suborno.

Marin, que presidiu a CBF de 2012 a abril deste ano e foi o presidente do comitê organizador local da Copa do Mundo de 2014, está entre sete dirigentes da federação internacional presos em Zurique. Atualmente, ele ocupa um cargo no comitê organizador dos torneios olímpicos de futebol da Fifa e uma das vice-presidências da CBF.

Em nota, a CBF disse que os acontecimento na Suíça são "graves", mas vai esperar a conclusão da investigação sem fazer qualquer julgamento. Já o novo presidente da entidade, Marco Polo Del Nero, afirmou que as supostas irregularidades em contratos firmados pela CBF com patrocinadores e detentores de direitos de transmissão de eventos esportivos foram firmados pela confederação antes da gestão de Marin, que substituiu Ricardo Teixeira.

"Não tem nenhum contrato firmado pós-Marin", disse ele a jornalistas na Suíça.

O suíço Joseph Blatter, presidente da Fifa, não está entre os indiciados, mas a lista inclui vários subordinados diretos dele na hierarquia da entidade. Blatter prometeu "extirpar qualquer irregularidade no futebol" e disse em comunicado que as investigações vão ajudar a reforçar as medidas já tomadas pela entidade.

A Fifa suspendeu provisoriamente os sete dirigentes presos na quarta-feira de quaisquer atividades relacionadas com o futebol.   Continuação...

 
Foto de arquivo do ex-presidente da CBF José Maria Marin. 02/12/2014 REUTERS/Jorge Adorno