Filho de ex-dirigente da Fifa concordou em cooperar com EUA em 2013

segunda-feira, 1 de junho de 2015 21:02 BRT
 

Por Nate Raymond

NOVA YORK (Reuters) - Um filho de um ex-dirigente da Fifa concordou secretamente em 2013 em cooperar com as autoridades norte-americanas e admitir a participação em um esquema de revenda de ingressos da Copa do Mundo, de acordo com uma transcrição do tribunal divulgada nesta segunda-feira.

A transcrição confirmou que Daryan Warner, assim como seu irmão Daryll, concordou em ajudar as autoridades dos EUA como parte de acordos separados. A transcrição, cuja divulgação foi determinada por um juiz federal no Brooklyn, Nova York, continha a declaração de culpa de Daryan Warner.

Os dois homens são filhos do ex-vice-presidente da Fifa Jack Warner, que estava entre as 14 pessoas acusadas de envolvimento em um esquema de corrupção na Fifa, que segundo autoridades, envolveu mais de 150 milhões de dólares em subornos.

A transcrição mostrou que, no acordo de cooperação de Daryan Warner, os promotores concordaram em não acusá-lo de fraude e lavagem de dinheiro em conexão com o auxílio e a cumplicidade de um suposto pagamento de suborno pelo comitê de candidatura da África do Sul ligado à sua oferta para sediar a Copa do Mundo de 2010.

Promotores alegam que Jack Warner pediu pagamentos no valor de 10 milhões de dólares do governo sul-africano. Ele nega qualquer irregularidade. Benjamin Brafman, advogado de Daryan Warner, se recusou a fazer comentários nesta segunda-feira.