Dirigente da Conmebol afirma que renúncia de Blatter é "incompreensível"

terça-feira, 2 de junho de 2015 20:40 BRT
 

ASSUNÇÃO (Reuters) - Um importante dirigente da Conmebol classificou nesta terça-feira de "incompreensível" a surpreendente renúncia de Joseph Blatter como presidente da Fifa, em meio ao pior escândalo de corrupção que afeta o esporte.

Blatter renunciou ao cargo quatro dias depois de ter sido reeleito para um quinto mandato, argumentando que não sentia ter "um mandato de todo o mundo do futebol". O suíço de 79 anos convocou um congresso extraordinário para eleger seu sucessor.

"Estamos vivendo épocas de surpresa em surpresa", disse o vice-presidente da Confederação Sul-Americana de Futebol e chefe da Associação Uruguaia, o uruguaio Wilmar Valdez, à rede TyCSports.

"Realmente (é) inimaginável e incompreensível... é evidente que algum elemento importante deve ter surgido nas últimas horas para tomar uma decisão dessa natureza", acrescentou.

Horas mais tarde, a Confederação Sul-Americana disse em um comunicado que a atitude de Blatter "está marcada pela nobreza sábia de que o bem comum deve vir antes de qualquer pretensão pessoal".

"A Conmebol expressa aos membros da comunidade internacional o compromisso inalienável de lutar para encontrar o caminho da unidade, a harmonia diante de uma realidade que nos abate", afirmou em nota.

O presidente da associação chilena, Sergio Jadue, ficou surpreso com a decisão. "Eu disse na semana passada que toda pessoa que tenha uma situação anormal ou irregular deve dar um passe de lado. Desconheço se é a razão ou não do presidente da Fifa."

(Por Daniela Desantis)

 
Presidente da Associação de Futebol Uruguaia, Wilmar Valdez (esquerda), conversa com o Edwin Oviedo, da Associação Peruana, durante congresso ordinário da Conmebol em Luque, no Paraguai, em março. 04/03/2015 REUTERS/Jorge Adorno