Pelé diz que futebol tem que "parar a guerra" e unir as pessoas

quarta-feira, 3 de junho de 2015 10:40 BRT
 

LONDRES (Reuters) - O ex-jogador Pelé disse que o futebol precisa parar a "guerra", após uma série de acontecimentos nos últimos dias que culminou com a renúncia, na terça-feira, do presidente da Fifa, Joseph Blatter.

"Quero ver o futebol unir as pessoas, parar a guerra", disse Pelé à BBC durante entrevista em Cuba, onde seu antigo clube New York Cosmos enfrentou a seleção local.

"Este é meu posicionamento porque o futebol junta as pessoas. O que aconteceu com a corrupção não é problema meu", acrescentou.

Pelé, de 74 anos, considerado por muitos como o maior jogador de todos os tempos, disse que já era tempo de a Fifa fazer mudanças para garantir o fim dos escândalos que envolvem a organização. "É importante ter pessoas que são honestas para organizar tudo", afirmou.

Blatter surpreendeu o mundo do futebol ao anunciar sua renúncia na terça-feira, apenas quatro dias após ser reeleito para um quanto mandato à frente da entidade, em meio ao escândalo de corrupção na entidade investigado por autoridades norte-americana.

Uma eleição para a escolha do novo presidente da Fifa é pouco provável de acontecer antes de dezembro. Blatter vai permanecer no cargo até lá.

(Reportagem de Martyn Herman)

 
Pelé acena antes de entrevista coletiva em Havana. 01/06/2015 REUTERS/Enrique de la Osa