De capitão a reserva, Thiago Silva luta para recuperar espaço na seleção

sexta-feira, 5 de junho de 2015 15:06 BRT
 

Por Rodrigo Viga Gaier

TERESÓPOLIS, Rio de Janeiro (Reuters) - Capitão da seleção brasileira no fracasso na Copa do Mundo em casa e agora reserva na disputa da Copa América, o zagueiro Thiago Silva afirmou que o Brasil terá que conviver por um bom tempo com a imagem negativa deixada no Mundial de 2014, mesmo que vença a competição no Chille.

Opção no banco para a dupla de zaga titular Miranda e David Luiz, o defensor espera ter uma nova oportunidade para mostrar o seu valor ao técnico Dunga, que o tirou do posto de capitão e colocou na reserva desde que voltou ao comando do time no ano passado.

"Não incomoda ser reserva, mas é diferente para mim. O mais importante é ter consciência tranquila e quando jogar dar o meu melhor", disse Thiago, do Paris St. Germain, em entrevista coletiva no centro de treinamento da seleção na Granja Comary, em Teresópolis.

Thiago Silva atribiu sua perda de espaço na seleção à lesão sofrida no início da temporada europeia, que o deixou de fora dos gramados por algum tempo. "Foi meu grande erro quando joguei contra o Napoli, e isso me atrapalhou muito em termos de seleção", disse.

O choro dentro de campo contra o Chile nas oitavas de final da Copa do Mundo e o pedido para não participar das cobranças de pênaltis contra os chilenos podem ser algumas hipóteses pela opção de Dunga de barrar o defensor do time titular.

Questionado se o comportamento emotivo na Copa foi determinante para a decisão de Dunga, Thiago mostrou incomodo: "Essa pergunta tem que fazer para o Dunga", afirmou.

"Não me arrepndo de nada que fiz... saímos de um forma inesperada que machucou todo mundo. As pessoas procuram alguém para criticar, colocar para baixo. O choro foi com o Chile e ganhamos."

Dentro do grupo que vai à Copa América, o jogador do PSG é um dos poucos remanescentes da seleção que fracassou na Copa do Mundo do Brasil, perdendo por 7 x 1 para a Alemanha na semifinal. A história da decepção do Brasil está prestes a competar um ano, mas ainda está muito viva memória dos jogadores.   Continuação...

 
Zagueiro da seleção brasileira Thiago Silva em treino na Granja Comary, em Teresópolis. 04/06/2015 REUTERS/Ricardo Moraes