Fifa adia escolha de sede da Copa do Mundo de 2026

quarta-feira, 10 de junho de 2015 09:54 BRT
 

Por Gabriela Baczynska

SAMARA, Rússia (Reuters) - Como resultado da investigação sobre corrupção na Fifa, o início do processo de escolha da sede da Copa do Mundo de 2026 será adiado, disse o secretário-geral da organização, Jérôme Valcke, nesta quarta-feira.

"Devido à situação, acho que é bobagem iniciar qualquer processo de escolha no momento. Vai ser adiado", disse Valcke, em entrevista coletiva na cidade de Samara, no sul da Rússia. A decisão sobre quem sediará a Copa de 2026 estava prevista para ser tomada em Kuala Lumpur, em 2017.

O FBI está investigando suborno e corrupção na Fifa, incluindo a forma como a entidade máxima do futebol concedeu à Rússia o direito de organizar a Copa de 2018 e ao Catar a de 2022. Valcke foi visitar Samara, um dos locais dos jogos do Mundial, para ver como estão os preparativos para a Copa de 2018.

Apesar das investigações sobre o processo de escolha envolvendo a Rússia e Catar, o ministro dos Esportes russo, Vitaly Mutko, disse não ver ameaças à candidatura bem-sucedida de Moscou. Assim como Valcke, ele reiterou que o país cumpriu as normas.

Como secretário-geral da Fifa desde 2007, e principal assessor do presidente da entidade, Joseph Blatter, Valcke é considerado um dos homens mais poderosos do futebol no mundo. Ao lado de autoridades russas na entrevista à imprensa, o francês também voltou a negar as denúncias de irregularidades envolvendo mais de 10 milhões de dólares em transações bancárias, sob investigação na Justiça dos Estados Unidos.

Os fundos foram transferidos em 2008 para um outro dirigente da Fifa, Jack Warner, que era então o presidente da Concacaf, entidade que comanda o futebol na América do Norte e Central e no Caribe. Suspeita-se que o dinheiro tenha sido suborno pago pela África do Sul para ter o direito de receber a Copa do Mundo de 2010.

"Eu realmente não entendo qual é o problema e por que eu sou um alvo nessa questão", disse. "Eu assino contratos todos os dias ... tudo tem a assinatura do secretário-geral. Não é por eu estar assinando tudo que eu sou responsável pela maneira como as pessoas agem no mundo todo."

 
Secretário-geral da Fifa, Jérôme Valcke, em entrevista coletiva em Samara. 10/06/2015 REUTERS/Maxim Zmeyev