Neymar deixa seleção na Copa América e reconhece que se colocou em "situação chata"

segunda-feira, 22 de junho de 2015 10:57 BRT
 

(Reuters) - O atacante Neymar reconheceu nesta segunda-feira que se colocou em uma "situação chata" após ter sido suspenso por quatro jogos da Copa América, no Chile, por envolvimento em uma confusão com jogadores colombianos e o árbitro em partida da competição.

Capitão e camisa 10 do Brasil, Neymar deixou o hotel da seleção na capital chilena nesta segunda depois de decidir, junto com a comissão técnica, que a Confederação Brasileira de Futebol (CBF) não vai recorrer da suspensão aplicada pela Conmebol.

"Sabemos que não diminui em nada. Então acho que o melhor foi feito, que é eu ir embora", disse Neymar sobre a desistência de recorrer contra a suspensão recebida após a expulsão na partida contra a Colômbia.

"Foi um caso onde eu me deixei levar, eu me pus nessa situação chata, agora é descansar a mente e aproveitar a família. Que sirva de aprendizado não só para mim, mas para todo mundo também, é mais uma coisa que acontece na minha vida que eu aprendi muito", disse o jogador, de 23 anos, a repórteres ao deixar a concentração brasileira.

Neymar se despediu nesta manhã dos companheiros de equipe no hotel em que a seleção está hospedada em Santiago, após ter assistido da arquibancada, no domingo, à vitória do Brasil por 2 x 1 sobre a Venezuela, no último jogo do Grupo C.

O resultado classificou a seleção brasileira para as quartas de final para enfrentar o Paraguai, no sábado.

Essa é a segunda vez que Neymar deixa a seleção brasileira no meio de uma competição, mas por um motivo diferente. O atacante foi forçado a encerrar mais cedo sua participação na Copa do Mundo do ano passado após ter fraturado uma vértebra em partida contra a Colômbia, nas quartas de final.

No Mundial, o Brasil acabou goleado por 7 x 1 pela Alemanha na primeira partida sem Neymar.

(Por Caio Saad, no Rio de Janeiro)

 
Neymar, suspenso, em partida do Brasil contra a Venezuela. 21/06/2015  REUTERS/Jorge Adorno