Plano de segurança da Olimpíada deve contar com 60 mil homens, diz fonte

terça-feira, 23 de junho de 2015 15:35 BRT
 

Por Rodrigo Viga Gaier

RIO DE JANEIRO (Reuters) - O esquema de segurança para os Jogos Olímpicos de 2016 no Rio de Janeiro deve envolver cerca de 60 mil homens entre agentes públicos e privados, mais que o triplo do empregado no Pan-2007, mas não prevê a ocupação de favelas como ocorreu no evento continental, de acordo com uma fonte com conhecimento direto dos preparativos para a proteção do evento.

A proposta, que está sendo finalizada pelo governo federal, governo do RJ e comitê organizador dos Jogos, engloba a participação da Polícia Federal, Força Nacional de Segurança e Forças Armadas, além das forças locais de segurança, como as polícias militar e civil, os bombeiros e guardas municipais, e agentes particulares.

Ao contrário do Pan-2007, não está prevista a ocupação pelas Forças Armadas de favelas dominadas pelo tráfico de drogas, segundo a fonte, porque "a situação de segurança melhorou substancialmente no Rio", mas pode haver um reforço do policiamento nessas áreas.

Os índices gerais de violência na cidade caíram nos últimos anos desde a implantação das Unidades de Polícia Pacificadora (UPP) em diversas favelas, mas o Rio tem vivido ultimamente uma onda de assaltos violentos, muitos com o uso de facas, a pouco mais de um ano da Olimpíada.

“O esquema está praticamente montado e agora dependemos do orçamento para finalizar”, disse nesta terça-feira à Reuters uma fonte próxima do planejamento de segurança, sem informar, no entanto, qual seria o montante necessário para colocar em prática o esquema com 60 mil homens.

A questão orçamentária envolve principalmente a mobilização da Força Nacional de Segurança, uma tropa itinerante, e da Polícia Federal, que teria de deslocar homens adicionais para o Rio e também para a proteção de fronteiras, de acordo com a fonte.

“É um ano difícil, de orçamento apertado, e estamos fazendo contas para obter liberações do governo federal”, afirmou.

De acordo com o Ministério da Defesa, o gasto total com segurança será de 600 milhões de reais, sendo 350 milhões com as forças públicas e 250 milhões a serem aplicados em segurança privada. O ministério, no entanto, não especifica quantos homens estão previstos para serem empregados dentro desse orçamento.   Continuação...

 
Membros do Bope participam de simulação de segurança para Jogos do Rio de Janeiro. 11/2/2015. REUTERS/Sergio Moraes