Justiça do Uruguai embarga propriedades de ex-presidente da Conmebol Figueredo, preso na Suíça

quinta-feira, 25 de junho de 2015 14:43 BRT
 

MONTEVIDÉU (Reuters) - A Justiça do Uruguai embargou nove propriedades do ex-presidente da Conmebol Eugenio Figueredo, preso em Zurique sob acusação de suborno e corrupção ao lado de outros dirigentes do futebol, disseram à Reuters fontes do Judiciário uruguaio.

O dirigente da Fifa, que foi presidente da Confederação Sul-Americana de Futebol (Conmebol) em 2013 e 2014, teve nove propriedades embargadas no Uruguai, a pedido do Ministério Público local, que investiga irregularidades nos direitos de transmissão de torneios sul-americanos, entre eles a Copa América em disputa atualmente no Chile.

Segundo uma fonte da Justiça, foram embargadas cinco propriedades em Montevidéu e quatro no luxuoso balneário de Punta del Este, 140 quilômetros a leste da capital. De acordo com o jornal uruguaio El Observador, o valor das propriedades somaria 5 milhões de dólares.

Figueredo está detido na Suíça, onde foi preso no fim de maio como resultado de investigações de autoridades norte-americanas sobre um gigantesco esquema de corrupção na Fifa que chegaria a 150 milhões de dólares. O ex-presidente da Confederação Brasileira de Futebol (CBF) José Maria Marin também foi preso sob as mesmas acusações.

Os Estados Unidos pediram que os 14 acusados, nove dirigentes e ex-dirigentes da entidade responsável pelo futebol mundial e cinco empresários de marketing esportivo, sejam extradidatos para enfrentar julgamento.

(Reportagem de Malena Castaldi)

 
Ex-presidente da Conmebol Figueredo concede entrevista em Assunção.  30/4/2013.  REUTERS/Jorge Adorno