Conmebol só vai tomar medidas contra Jara se Uruguai fizer denúncia

sexta-feira, 26 de junho de 2015 19:41 BRT
 

SANTIAGO (Reuters) - A Confederação Sul-Americana de Futebol só vai decidir se tomará medidas contra o chileno Gonzalo Jara se o Uruguai apresentar uma queixa formal, disse à Reuters um membro do comitê disciplinar da Conmebol.

Jara foi alvo de críticas pesadas por colocar o dedo no traseiro de um adversário durante a vitória chilena por 1 x 0 nas quartas de final da Copa América contra o Uruguai.

Com o jogo de quarta-feira ainda empatado em 0 x 0, por volta dos 15 minutos do segundo tempo Jara provocou o atacante Edinson Cavani, que respondeu com um leve toque em seu rosto, mas Jara caiu no gramado como se tivesse levado um soco.

O incidente fez com que Cavani levasse o segundo cartão amarelo, sendo expulso, e o Chile marcou o gol a oito minutos do fim.

"Eu entendo que a AUF (Associação Uruguaia de Futebol) vai apresentar uma queixa", disse Adrian Lieza, um dos cinco membros do comitê, à Reuters. "Nesse caso, vamos ouvi-los."

"Até agora, nós nunca tomamos a iniciativa desde que o comitê foi estabelecido, em 2013, e não vamos fazer isso por incidentes de campo", afirmou.

Lieza disse que ele e o integrante do Chile na comissão vão rejeitar caso a denúncia seja feita, deixando a decisão para os três outros membros.

O Chile enfrentará o Peru nas semifinais.

(Reportagem de Rex Gowar e Gideon Long)

 
Árbitro Sandro Ricci mostra segundo cartão amarelo ao uruguaio Edinson Cavani, enquanto o chileno Gonzalo Jara observa, durante jogo da Copa América, em Santiago, no Chile. 24/06/2015 REUTERS/Ivan Alvarado