França e Brasil compartilharão inteligência contra terrorismo antes de Olimpíadas de 2016

domingo, 22 de novembro de 2015 17:10 BRST
 

Por Silvio Cascione

BRASÍLIA (Reuters) - A França vai compartilhar inteligência contra terrorismo com o Brasil antes das Olimpíadas no Rio de Janeiro do próximo ano, disseram os ministros do Exterior dos dois países em uma coletiva de imprensa em Brasília neste domingo.

O ministro do Exterior da França, Laurent Fabius, que está no Brasil para discutir a próxima cúpula climática da ONU em Paris mais tarde neste mês, disse que autoridades de inteligência francesas podem fornecer ao Brasil informações sobre potenciais ameaças.

"O ministro Fabius ofereceu um possível intercâmbio de informações e experiências, o que para o governo brasileiro é muito bem-vindo", disse o chanceler brasileiro, Mauro Vieira.

Diplomatas em Brasília disseram à Reuters na semana passada que os governos ocidentais estão preocupados com a segurança de seus atletas e turistas durante os Jogos Olímpicos de 2016 porque acreditam que muitas autoridades brasileiras são complacentes, assumindo muito conforto com a posição histórica do país como uma nação não-alinhada e multicultural que está livre de inimigos.

Fabius disse que os assassinatos deste mês em Paris poderiam ter acontecido em qualquer lugar do mundo, o que significa que qualquer estratégia para combater o terrorismo tem de ser internacional.

A França permanece em estado de emergência na sequência dos ataques de 13 de novembro, que mataram 130 pessoas em Paris. A série de tiroteios e explosões veio conforme o país se prepara para a Conferência das Nações Unidas para as Alterações Climáticas, também apelidada COP21, que ocorre de 30 de novembro a 11 de dezembro.