Associação de clubes europeus critica reformas propostas pela Fifa

sexta-feira, 4 de dezembro de 2015 12:59 BRST
 

ZURIQUE (Reuters) - A associação que representa os maiores clubes do futebol europeu (ECA) reagiu com insatisfação, nesta sexta-feira, às reformas propostas pela Fifa, dizendo que só levarão a uma maior frustração entre as partes envolvidas no esporte.

A ECA, que representa mais de 200 clubes, incluindo grandes nomes como Real Madrid, Barcelona e Bayern de Munique, disse que seus membros "não estão preparados para serem mais ignorados".

A Fifa está no meio de uma crise, com investigações criminais sobre o esporte. O presidente da organização, Joseph Blatter, está entre os dirigentes suspensos pelo comitê de ética da Fifa.

A Fifa anunciou um pacote de reformas na quinta-feira que inclui limites de mandatos para membros. Uma sugestão do aumento de 32 para 40 seleções na Copa do Mundo foi colocada em pausa.

"A ECA estava certa em acreditar que um processo de reforma feito de dentro é incapaz de entregar um modelo de governaça sustentável, que esteja adequado ao século 21", informou a ECA em comunicado.

Quase todos os principais jogadores do mundo estão em clubes europeus e competições internacionais da Fifa dependem de acordo com ela, que autoriza, ou não, a liberação de jogadores em determinadas datas para jogos das seleções.

(Por Brian Homewood, em Berne)