Platini afirma que comitê de ética da Fifa decidiu culpa previamente

sábado, 19 de dezembro de 2015 13:54 BRST
 

LONDRES (Reuters) - O presidente suspenso da Uefa, Michel Platini, acusou o comitê de ética da Fifa de lhe negar uma audiência justa nas alegações de corrupção contra ele e disse que foi condenado previamente.

Platini se recusou a comparecer a uma reunião do comitê de ética na sexta-feira e emitiu um comunicado que foi lido pelo seu advogado e enviado à imprensa neste sábado.

"Decidi não aparecer para apresentar minhas explicações em pessoa. Por uma única razão: eu já fui julgado, eu já fui condenado", disse o ex-meia francês e chefe do futebol europeu.

Platini era o favorito para substituir Joseph Blatter na presidência da Fifa, mas também entrou na mira do escândalo de corrupção pelo qual passa o esporte em que dezenas de ex-dirigentes e executivos de marketing foram indiciados por autoridades dos Estados Unidos.

Ele ainda não está nesta lista, mas a Fifa o investiga ao lado de Blatter, que também está suspenso, por uma transferência de cerc ade 2 milhões de dólares da Fifa para Platini em 2011. Ambos alegam que foi um pagamento legítimo por um trabalho que o francês havia realizado.

No comunicado lido por seu advogado, Platini disse que uma série de comentários de oficiais da Fifa, inclusive declarações anônimas para a imprensa, deixou claro que o comitê de ética já determinou sua culpa.

"Não tenho mais confiança nos corpos disciplinares da Fifa. Eles mostraram suas tendências, seus preconceitos, suas inabilidades para respeitar o sigilo, a presunção de inocência e os direitos de defesa", disse.