Equipe feminina de basquete do Catar desiste de jogo por proibição de uso de véu

quarta-feira, 24 de setembro de 2014 10:21 BRT
 

Por Peter Rutherford

INCHEON Coreia do Sul (Reuters) - O time feminino de basquete do Catar desistiu de disputar uma partida durante os Jogos Asiáticos nesta quarta-feira, após não ter obtido permissão de usar o hijab (tipo de véu islâmico), em protesto contra o que alega ser uma política discriminatória contra as muçulmanas.

De acordo com as regras da Federação Internacional de Basquete, as jogadoras do Catar teriam de remover seus véus para jogar contra a Mongólia.

No entanto, as jogadoras se recusaram, dizendo que isso viola suas crenças religiosas e que elas querem enviar uma mensagem para a federação que administra o esporte de que essa proibição é injusta.

“Temos que nos posicionar”, disse Ahlam Salem M. Al-Mana, do Catar. “Estamos aqui para pressionar a associação internacional e dizer que todas as equipes muçulmanas estão prontas para competir em qualquer competição."

“Nós sabíamos sobre a proibição ao hijab, mas temos que estar aqui. Temos que mostrar a todos que estamos prontas para jogar, mas a Associação Internacional não está pronta."

Um porta-voz para os Jogos Asiáticos de Incheon disse à Reuters que os organizadores não tiveram alternativa a não ser declarar desistência, porque “a regra que as jogadoras quebraram é a regra 4.4.2 da Federação Internacional de Basquete, que trata de uniformes e o que os jogadores podem usar”.

O uso de hijabs tornou-se um tópico quente no esporte nos últimos anos, com atletas muçulmanas queixando-se de discriminação. Grupos de direitos humanos e as Nações Unidas uniram forças na pressão para que os órgãos esportivos suspendam a proibição.

 
Delegação do Catar em desfile na cerimônia de abertuta dos Jogos Asáticos, em Incheon. 19/09/2014  REUTERS/Issei Kato