Candidato à Fifa, Champagne quer divulgação de relatório sobre Copas de 2018 e 2022

quinta-feira, 25 de setembro de 2014 13:15 BRT
 

ZURIQUE (Reuters) - Candidato à Presidência da Fifa, Jérôme Champagne se juntou àqueles que pedem que o relatório sobre o polêmico processo de escolha das sedes das Copas do Mundo de 2018 e 2022 seja tornado público.

O investigador Michael Garcia, do comitê de ética da Fifa, que realizou o inquérito, também é a favor da divulgação.

“Apoio totalmente o pedido de Michael Garcia para divulgar seu relatório investigativo sobre as Copas do Mundo de 2018 e 2022”, tuitou o francês Champagne. “É essencial para proteger a santidade da Copa do Mundo como celebração do futebol e de nossa universalidade”.

Até agora Champagne é o único adversário declarado do atual presidente da Fifa, Joseph Blatter, que concorre a um quinto mandato na eleição do ano que vem.

Garcia já entregou seu inquérito ao juiz alemão Hans-Joachim Eckert, presidente do comitê de ética da Câmara Decisória, que declarou esperar dar alguma indicação sobre sua posição a respeito das descobertas no começo de novembro.

Nas últimas semanas, membros do comitê executivo da Fifa e os vice-presidentes da Fifa Jim Boyce, da Irlanda do Norte, e Jeffrey Webb, das Ilhas Caimã, assim como Moya Doidd, da Austrália, e o príncipe Ali Bin Al-Hussein, da Jordânia, pediram que todos os achados de Garcia sejam divulgados publicamente.

A Fifa e os organizadores da Copa do Catar em 2022, após o Mundial da Rússia em 2018, vêm rebatendo as alegações de corrupção desde que o Estado do Golfo Pérsico recebeu o direito de realizar o torneio em 2010, e o próprio país vem sendo criticado por seu tratamento dos migrantes que trabalham na indústria da construção.

O Catar negando as alegações.

(Por Brian Homewood)

 
Jérôme Champagne concede entrevista coletiva em Londres/ 20/01/2014 REUTERS/Suzanne Plunkett