Rio ganha elogios do COI, mas impasse sobre campo de golfe fica sem resposta

quarta-feira, 1 de outubro de 2014 17:21 BRT
 

Por Pedro Fonseca

RIO DE JANEIRO (Reuters) - Os preparativos do Rio de Janeiro para os Jogos Olímpicos de 2016 passaram de alvo de duras críticas a motivo de elogios do Comitê Olímpico Internacional, nesta quarta-feira, mas um impasse sobre a construção do campo de golfe da Olimpíada ficou sem resposta do COI ou do comitê organizador.

Na primeira visita da comissão de coordenação do COI para os Jogos de 2016 desde que o vice-presidente do comitê, John Coates, descreveu em abril a organização brasileira como "a pior preparação de todos os tempos", a cidade recebeu elogios pelo andamento das obras no Parque Olímpico e no Complexo de Deodoro, este último principal motivo de preocupação anteriormente.

"Deixamos o Rio satisfeitos com o progresso que foi feito desde a última visita em março", disse a jornalistas a chefe da equipe de coordenação do COI, a ex-corredora marroquina Nawal El Moutawakel, no encerramento da 7a visita da comissão à cidade.

"Ao entrarmos nos dois anos finais de preparação, pudemos ver que o trabalho principal está progredindo em velocidade total, especialmente na construção de arenas", acrescentou.

A polêmica ambiental envolvendo a construção do campo olímpico de golfe, no entanto, não foi respondida pelos dirigentes do COI nem pelo chefe do comitê organizador Rio 2016, Carlos Arthur Nuzman.

Um juiz propôs no mês passado que fossem feitas alterações no desenho do campo para recuperar uma área às margens da Lagoa de Marapendi, na Barra da Tijuca, mas a mudança foi recusada pelos responsáveis pelo projeto por afetar a construção de um condomínio de edifícios que faz parte do complexo.

A Justiça vai decidir nas próximas semanas se o projeto pode continuar a ser executado como está ou se a obra deve ser paralisada enquanto se busca uma solução para a questão ambiental.

Segundo Nuzman, o assunto é de responsabilidade da Prefeitura do Rio e não há nada que o comitê organizador possa responder sobre o tema. Nawal expressou apenas ter confiança que a cidade está lidando com o problema, mas nenhum dos dois indicou o que será feito caso a obra seja embargada.   Continuação...

 
Construção do Parque Olímpico para Jogos do Rio. Foto de 6 de agosto.  REUTERS/Sergio Moraes